Protocolos injetáveis
para a saúde da mulher

Tratamentos que contribuem para o bem-estar feminino

Sabemos que a saúde da mulher envolve diversos aspectos, e que conhecer o seu próprio corpo é de grande importância, principalmente em relação às mudanças que ocorrem ao longo do tempo.

Dessa forma, a incorporação de cuidados com a saúde feminina é uma necessidade em todos os períodos de sua vida, que vão desde a adolescência, passando pela idade reprodutiva, puerpério, climatério e menopausa.

As sugestões de tratamentos que apresentamos neste material auxiliam no aumento de energia, memória e disposição, promovem melhora da qualidade do sono e da atividade ansiolítica, além de atuarem nos sintomas do climatério e da menopausa, na libido feminina, na síndrome metabólica, na endometriose, na síndrome dos ovários policísticos (SOP) e na imunidade.

São opções de protocolos injetáveis endovenosos e intramusculares desenvolvidos especialmente para promover a saúde e o bem-estar das mulheres, além de formulações orais e suplementos que podem atuar como tratamentos complementares.

Protocolo endovenoso para energia, disposição e foco

Composto por ativos que atuam na melhora das atividades envolvidas nos processos cognitivos, como aprendizado, memória e capacidade de processamento de informações no cérebro. Além disso, atua no equilíbrio saudável dos sistemas imunológico e nervoso e possui atividade fundamental na bioenergética celular, como também a ação de aminoácidos precursores atuantes na atividade mental.

  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • L-Fenilalanina 20mg/2mL 1 ampola
  • L-Taurina 100mg/2mL 1 ampola
  • L-Triptofano 100mg/10mL 1 ampola
  • Piracetam 500mg/2mL 1 ampola
  • Complexo B 1 ampola

Sugestão de uso: as ampolas em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo endovenoso para fadiga/indisposição

A associação destes ativos atua contra o estresse oxidativo, através da eliminação dos radicais livres, um dos fatores na fadiga muscular. Além disso, contempla diversas substâncias essenciais nos processos metabólicos que envolvem o sistema imune e a saúde neuronal e muscular.

  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola
  • Vitamina B12 (Metilcobalamina) 500mcg/1mL 1 ampola
  • Complexo B (Sem B1)/2mL 1 ampola
  • D-Ribose 500mg/2mL 1 ampola
  • L-Taurina (5%) 500mg/10mL 1 ampola
  • Pool de Aminoácidos /10mL 1 ampola
  • Inositol 1g/10mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo endovenoso para redução do estresse, equilíbrio do humor e melhora da memória

Composto por ativos que atuam de forma sinérgica através da liberação de neurotransmissores, os quais contribuem na redução do estresse, equilíbrio do humor, manejo da depressão e performance cerebral, aumentando assim a flexibilidade cognitiva. O protocolo possui ativos essenciais para o funcionamento adequado do organismo, auxiliando na melhora do estado geral do organismo.

  • N-Acetil L-Tirosina 20mg/2mL 1 ampola
  • L-Theanina 50mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Minerais/2mL 1 ampola
  • Inositol 100mg + L-Taurina 100mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (60-90min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

+ aplicação intramuscular ou subcutânea

  • Vitamina B12 (Metilcobalamina) 2500mcg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aplicar a ampola via intramuscular ou subcutânea na região glútea externa.

Protocolo intramuscular para redução do estresse, equilíbrio do humor e melhora da memória

Composto por ativos precursores de neurotransmissores essenciais, os quais contribuem no bem-estar e atuam na atividade cerebral, estimulando o estado de alerta e diminuindo o cansaço físico. Apresenta atividade em diversas funções vitais que envolvem redução da ansiedade, regulação do ritmo circadiano, sono e desordens cognitivas.

  • 5-Hidroxitriptofano 4mg/2mL 1 ampola
  • L-Theanina 50 mg/2mL 1 ampola
  • N-Acetil L-Tirosina 20mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína (2%) 20mg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 3,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo intramuscular para energia, disposição e foco

Composto por ativos que atuam no funcionamento do sistema nervoso e contribuem para a estrutura, função e nutrição das células cerebrais. Além disso, auxiliam em processos biológicos capazes de impulsionar a memória através da produção de neurotransmissores específicos.

  • Inositol 100mg + L-Taurina 100mg/2mL 1 ampola
  • Cafeína Benzoica 100mg/2mL 1 ampola
  • Pool para Cognição/2mL 1 ampola
  • Lidocaína (1%) 20mg/2mL – Opcional 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 4mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo intramuscular para fadiga

Possui ativos que atuam na redução da fadiga, mantendo a disposição e o foco, através da produção contínua de ATP, resultando no aumento dos níveis de energia nas células. Auxilia nos processos de produção e recuperação muscular, assim como aumenta os níveis de catecolaminas essenciais no aumento de energia e regulação do humor.

  • BCAA/2mL 1 ampola
  • D-Ribose 500mg/2mL 1 ampola
  • L-Arginina 400mg + Lidocaína 1%/2mL 1 ampola
  • L-Fenilalanina 20mg/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo endovenoso adjuvante no reparo do sono

Possui atividade na modulação do sono, através de potencializadores dos receptores GABA que agem produzindo relaxamento. Enquanto a associação de aminoácidos que atuam na regulação do sistema serotoninérgico promove melhora nos níveis de ansiedade, resultando em sensação de bem-estar.

  • L-Theanina 50mg/2mL 1 ampola
  • L-Triptofano 100mg/10mL 1 ampola
  • L-Taurina 100mg/2mL 1 ampola
  • L-Glicina 75mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo intramuscular para ansiedade

Desempenha ação ansiolítica através de precursores diretos de serotonina, promovendo melhora na ansiedade, modulação do humor, cognição, aprendizagem e memória.

  • L-Theanina 50mg/2mL 1 ampola
  • 5-Hidroxitriptofano 4mg/2mL 1 ampola
  • L-Glicina 75mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína (2%) 20mg/1mL – Opcional 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 3,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo endovenoso adjuvante para menopausa

Esse protocolo é composto por substâncias que auxiliam no aumento da produção de progesterona, diminuição das ondas de calor associadas à menopausa, coadjuvante na lubrificação vaginal, na melhora do humor e de sintomas depressivos.

  • Melatonina 10mg/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola
  • Ácido Fólico 10mg/2mL 1 ampola
  • Vitamina C (Ácido Ascórbico) 444mg/2mL 1 ampola
  • L-Arginina 1g/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo intramuscular adjuvante para menopausa

Composto por ativos que auxiliam no aumento dos níveis de serotonina e resultam na melhora do humor, podendo agir sobre as ondas de calor, insônia e ansiedade, as quais se manifestam de forma expressiva na fase da menopausa.

  • 5-Hidroxitriptofano 4mg/2mL 1 ampola
  • Melatonina 10mg/2mL 1 ampola
  • Ácido Fólico 10mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína (2%) 20mg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 3,5 mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo endovenoso para libido feminina

De forma sinérgica, os ativos que compõem o protocolo contribuem nas funções sexuais relacionadas aos estímulos excitatórios. Além disso, possui ativos que atuam na melhora da fadiga mental e física.

  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola
  • L-Citrulina 200mg + Vitamina C 75mg/10mL 1 ampola
  • Complexo B (Sem B1)/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • L-Arginina 1g/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo intramuscular para libido feminina

Contempla ativos que auxiliam na vasodilatação, aumentando o fluxo sanguíneo na região dos órgãos genitais e, consequentemente, na melhora da função sexual.

  • L-Arginina 400mg + Lidocaína 1%/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar profundamente e de forma lenta todo o conteúdo no músculo ventroglúteo.

+ aplicação intramuscular

  • PQQ (Pirroloquinolina Quinona) 2,5mg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo da ampola e aplicar profundamente e de forma lenta todo o conteúdo no outro músculo ventroglúteo.

Protocolo endovenoso para endometriose

A associação dos ativos contribui na diminuição proliferativa e invasiva da endometriose e da atividade inflamatória. Além disso, sua composição atua como coadjuvante na inibição da progressão da endometriose.

  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • Vitamina B3 (Nicotinamida) 30mg/2mL 1 ampola
  • Vitamina B6 (Piridoxina Cloridrato) 40mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Minerais/2mL 1 ampola
  • MSM (Metilsulfonilmetano) 750mg/5mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 1g/10mL 1 ampola
  • Inositol 1g/10mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo intramuscular para endometriose

O protocolo auxilia na melhora da inflamação e diminui a ação dos radicais livres através do seu mecanismo antioxidante.

  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • Vitamina B3 (Nicotinamida) 30mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína (2%) 20mg/1mL – Opcional 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente 5mL no músculo ventroglúteo.

+ aplicação intramuscular

  • Vitamina D3 50.000UI / 100.000UI / 300.000UI / 600.000UI/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo da ampola e aplicar via intramuscular de forma profunda e lenta, no outro músculo ventroglúteo.

Protocolo endovenoso para otimização metabólica com aminoácidos

A síndrome metabólica é uma condição cada vez mais presente na saúde da mulher, e pode ser definida como a união de diversos fatores que afetam a condição cardíaca. Dentre suas causas, estão: episódios de resistência à insulina associados à síndrome dos ovários policísticos e o aumento da gordura abdominal; diminuição dos níveis de estrogênio circulante, os quais aumentam o risco cardiovascular relacionado com os efeitos da adiposidade, metabolismo lipídico, inflamação e desequilíbrio entre os fatores pró-coagulantes e pró-fibrinolíticos na menopausa.

Além do cuidado com a alimentação, melhora no estilo de vida e prática de atividades físicas serem fatores importantes para o gerenciamento do quadro clínico, a associação de protocolos injetáveis pode otimizar ainda mais os resultados.

  • Pool de Minerais/2mL 1 ampola
  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • BCAA/2mL 1 ampola
  • Pool de Aminoácidos/10mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

Protocolo intramuscular para síndrome metabólica

  • Inositol 200mg/2mL 1 ampola
  • Picolinato de Cromo 100mcg/2mL 1 ampola
  • L-Fenilalanina 20mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • Piridoxal-5-Fosfato 20mg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: Aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 4,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

+ aplicação intramuscular

  • Lidocaína (2%) 20mg/1mL – Opcional 1 ampola

Protocolo endovenoso para SOP

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é a principal endocrinopatia que afeta mulheres em idade reprodutiva. Com intuito de otimizar os tratamentos, esse protocolo injetável contempla ativos que atuam na resistência à insulina, apresentando melhora dos parâmetros endócrinos e ovulatórios. Além disso, possui ação direta no metabolismo de conversão da glicose em energia celular.

  • Inositol 1g/10mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 500mg/5mL 1 ampola
  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • L-Arginina 1g/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Zinco 20mg/2mL 1 ampola
  • Cloreto de Cromo 100mcg/2mL 1 ampola
  • Metilcobalamina 500mcg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

+ aplicação intramuscular

  • Vitamina D3 – Colecalciferol (100.000UI)/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aplicar 1 ampola por via intramuscular, de forma profunda e lenta (sugerido músculo ventroglúteo).

Protocolo intramuscular para SOP

Essa sugestão contempla ativos que atuam na resistência à insulina, apresentando melhora dos parâmetros endócrinos e ovulatórios, com possibilidade de aplicação intramuscular.

  • Inositol 200mg/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola
  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • L-Arginina (20%) 400mg + Lidocaína (1%) 20mg/2mL 1 ampola
  • Cloreto de Cromo (0,005%) 100mcg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente 5mL no músculo ventroglúteo.

Protocolo endovenoso para imunidade

Composto por associações de ativos que auxiliam na defesa das células contra a ação do estresse oxidativo, equilibrando a função imune e atuando no desempenho essencial de processos metabólicos, a fim de manter a integridade saudável do corpo. Pode auxiliar na melhora da imunidade em mulheres, prevenindo quadros de infecção.

  • L-Glutamina 120mg/2mL 1 ampola
  • Complexo B (Sem B1)/2mL 1 ampola
  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • L-Glutathion* 100mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Minerais)/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente.

*De acordo com a individualidade do paciente, sugere-se a administração do L-Glutathion isolado, diluído em 100mL de SF 0,9%, via EV com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa).

+ aplicação intramuscular

  • Coenzima Q10 50mg/1mL – Veículo oleoso 1 ampola

Sugestão de uso: aplicar 1 ampola por via intramuscular lentamente (sugerido músculo ventroglúteo).

Protocolo intramuscular pós-infecção

Protocolo composto por ativos que, em sinergia, auxiliam no aumento da energia celular e da capacidade de reparar danos celulares. Além de atuarem como antioxidantes e varredores de radicais livres, eliminando xenobióticos, também participam da defesa das células contra o estresse oxidativo e na melhora do estado geral do paciente. De forma coadjuvante, pode contribuir na melhora da imunidade em mulheres, frente a processos infecciosos e pós-infecciosos, como infecção urinária de repetição, por exemplo.

  • Complexo B (sem B1)/2mL 1 ampola
  • L-Glutathion 100mg/2mL 1 ampola
  • L-Lisina 300mg/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína (2%) 20mg/1mL – Opcional 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 4,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Conheça mais sobre os ativos

A N-acetilcisteína (NAC) atua como um precursor da glutationa, principal antioxidante produzido pelo organismo. Seu mecanismo de ação sobre o estresse oxidativo atua removendo as espécies reativas de oxigênio, nitrogênio e peróxidos. Além disso, ela também demonstrou efeitos pró-cognitivos, melhorando a disfunção cognitiva, com redução do dano oxidativo, disfunção mitocondrial ou marcadores de inflamação.

Através da ativação endógena do receptor mGlu2 do hipocampo, NAC auxilia nos processos metabólicos que envolvem a redução do estresse, sugerindo potencial adjuvante em terapias antidepressivas.

Em tratamentos relacionados à endometriose, possui capacidade de reduzir o tamanho do endometrioma, diminuindo o comportamento proliferativo e invasivo, além da atividade inflamatória.

A associação de N-acetilcisteína no tratamento da síndrome metabólica desempenha papel funcional na diminuição dos níveis endógenos de estresse oxidativo e inflamação, resultando no aumento da biodisponibilidade de óxido nítrico (NO).

A L-fenilalanina é um aminoácido necessário para o funcionamento do sistema nervoso central, onde está envolvida na formação de neurotransmissores como norepinefrina, epinefrina e dopamina.

Suas inúmeras propriedades estão relacionadas à melhora da motivação e do humor, ao aumento da concentração e foco .e à diminuição da ansiedade. Além de sinalizar nutrientes que estimulam a concentração de insulina e glucagon para regularem o metabolismo da glicose.

A L-taurina é um aminoácido que contribui em diversas funções fisiológicas do nosso organismo, como: regulação do estresse oxidativo, imunidade e inflamação, metabolismo lipídico e síntese mitocondrial. Além disso, reduz os níveis de homocisteína plasmática e indicadores de estresse oxidativo, assim auxiliando na redução do risco de doenças cardiovasculares.

Possui atividade sobre a regulação da resistência física, fadiga muscular e melhora a função cognitiva.

Considerado um aminoácido essencial, L-triptofano é necessário para diversos compostos bioativos que incluem vitamina B6, serotonina, melatonina, entre outros.

Com sua ação na modulação da função serotoninérgica, o triptofano auxilia em sintomas depressivos, na melhora do humor e no aumento da disponibilidade de 5-hidroxitriptofano cerebral, contribuindo diretamente na regulação do sono.

O piracetam possui efeitos benéficos sobre o aprimoramento cognitivo, aumentando o oxigênio e a utilização de glicose através da adenosina trifosfato (ATP). Auxilia no aumento da capacidade de aprendizado e memória, sendo adjuvante na prevenção da demência.

O picolinato de cromo é um mineral essencial no metabolismo de carboidratos e lipídios. Suas propriedades estão relacionadas no aumento da ação metabólica da insulina, interferindo positivamente na diminuição de fatores de risco para doenças cardiovasculares e diabetes tipo II. Dessa forma, a sua associação pode auxiliar na redução dos sintomas da síndrome metabólica.

O piridoxal 5′-fosfato (PLP), ou a forma ativa da vitamina B6, atua como cofator em inúmeras reações enzimáticas envolvidas no metabolismo das proteínas, lipídios e carboidratos, além de desempenhar o papel antioxidante.

A disponibilidade do PLP atua sobre as respostas imunes inatas e adaptativas. Sua ação está relacionada a diversas condições, as quais incluem redução dos sintomas relacionados a doenças inflamatórias, prevenção de complicações relacionadas ao diabetes e melhora no diabetes gestacional, além de produzir efeitos cardioprotetores na doença isquêmica do coração.

As vitaminas do complexo B contribuem para o bom funcionamento das células do corpo e desempenham papéis essenciais em diversos processos metabólicos, os quais suportam funções celulares fundamentais na formação de novas células sanguíneas, na integridade saudável das células da pele, células cerebrais e outros tecidos do corpo, como o sistema nervoso.

Além disso, as ações desses micronutrientes também atuam sobre os processos cognitivos e psicológicos, que incluem fadiga mental e física. E, em complemento, são adjuvantes na melhora do desempenho nos treinos, processos de desintoxicação ou perda de peso.

A vitamina B12 trata-se de um nutriente essencial que não é sintetizado pelo organismo, mas que possui um papel fundamental na manutenção da saúde.

Sua ação contribui para o funcionamento adequado do sistema nervoso, a regeneração celular, a produção das nossas células sanguíneas e o aumento dos níveis disponíveis de SAMe (S-adenosilmetionina) - um importante atuante na potencialização do humor, na contribuição de tratamentos relacionados à cognição e no estímulo de processos metabólicos do corpo.

Além disso, a vitamina B12 é um dos elementos importantes para diminuir os níveis de homocisteína, fator esse que está relacionado ao aumento do risco e causa de esclerose das artérias. Dessa forma, a metilcobalamina converte a homocisteína em metionina e reduz o potencial de dano.

Derivada da niacina, a Vitamina B3 - ou o ácido nicotínico - é um importante composto do grupo do complexo B, que faz parte da composição da coenzima NAD, sendo essencial para muitas reações metabólicas enzimáticas. Além de atuar como antioxidante, auxilia na sinalização celular e na produção e reparo do DNA.

A vitamina B6 é a única vitamina do complexo B que está envolvida no metabolismo dos três macronutrientes: proteínas, lipídios e carboidratos. O termo vitamina B6 se refere ao grupo de derivados de piridina de ocorrência natural, representados pelos vitâmeros piridoxina, piridoxal, piridoxamina e seus derivados fosforilados com ações fisiológicas semelhantes. As formas livres naturais dos vitâmeros podem ser convertidas na forma coenzimática chave, o piridoxal-5-fosfato. Existem mais de 140 reações enzimáticas dependentes dessa coenzima, estando envolvida em reações que sintetizam, degradam e interconvertem aminoácidos.

Além disso, a vitamina B6 é também conhecida por seu mecanismo anti-inflamatório e estimulante dos nervos, que inibe a progressão ativando genes supressores de tumor, inativando a angiogênese e induzindo a apoptose, sendo auxiliar no controle da endometriose.

Com diversas funções no corpo humano, o magnésio atua como cofator para mais de 300 enzimas. Sua ação está relacionada à melhora da inflamação, redução do estresse oxidativo e morte celular neuronal. Outras funções fundamentais, como a contração muscular, a condução neuromuscular, o controle glicêmico, a contração miocárdica e a pressão arterial também são provenientes dos níveis adequados de magnésio. Além disso, o magnésio desempenha um papel vital na produção de energia, transporte transmembrana ativo para outros íons, síntese de materiais nucleares e desenvolvimento ósseo.

A D-ribose é um monossacarídeo natural encontrado nas células, e possui um importante papel nas mitocôndrias para produção de energia. Sem energia suficiente, as células não conseguem manter sua função e integridade. Dessa forma, sua suplementação melhora os processos celulares em quadros de disfunção mitocondrial.

Por conta do seu mecanismo de ação, a D-ribose tem sido usada em diversas condições patológicas, como síndrome da fadiga crônica, fibromialgia, disfunção miocárdica, além de melhorar o desempenho muscular de atletas em relação à dor, rigidez e cãibras.

É composto por aminoácidos essenciais que, além de desempenhar papel na composição proteica, também participam de vários processos biológicos fundamentais para a manutenção da homeostase corporal, como a produção de hormônios e de neurotransmissores estimulantes do sistema nervoso central e periférico, proteção contra ação dos radicais livre, entre outros.

O Inositol atua como um mediador sobre a ação da insulina, sendo necessário para ativar enzimas-chave no metabolismo da glicose. Com isso, ele melhora a sensibilidade à insulina e o fator ovulatório em mulheres com síndrome dos ovários policísticos.

Além disso, contribui para os mecanismos de neurotransmissão, ligando-se em receptores nas membranas das células nervosas, auxiliando de forma coadjuvante em tratamentos relacionados à depressão, estresse, autismo, transtorno obsessivo-compulsivo e controle do humor.

A N-acetil L-tirosina (NALT) é uma forma acetilada do aminoácido não essencial L-tirosina. Ela atua como um precursor das catecolaminas: dopamina, epinefrina (adrenalina) e norepinefrina (noradrenalina) - hormônios que são liberados pelas suprarrenaisno sangue quando o corpo está sob estresse físico ou emocional. Com isso, NALT os restaura para preservar a cognição ideal, melhorando o estado de alerta e o foco.

A L-theanina é um aminoácido não proteico, proveniente da Camellia Sinensis. Possui uma estrutura que se assemelha ao ácido glutâmico e uma ação potencialmente relacionada à mediação de receptores de glutamato e NMD aspartato.

Sua proposta de ação, como um agente neuroprotetor e coadjuvante na melhora cognitiva, tem relação com a modulação dos níveis de glutamato, neurotransmissores de glicina e monoamina no sistema nervoso central

Além disso, a theanina atua sobre os efeitos ansiolíticos e fornece benefícios para a saúde mental, incluindo sono de qualidade, podendo também contribuir para a plasticidade sináptica do hipocampo, região correspondente à memória, aprendizado e concentração.

Desempenham um papel em centenas de processos bioquímicos no corpo, incluindo suporte antioxidante e a replicação de células imunes, atuando na fadiga, saúde neuronal, captação de radicais livres, entre outros mecanismos.

O 5-Hidroxitriptofano é sintetizado a partir do aminoácido triptofano, através da descarboxilação pela triptofano hidroxilase, onde é convertido em 5-HTP para formar serotonina.

A serotonina é um neurotransmissor monoamina que está envolvido na modulação do humor, cognição, recompensa, aprendizagem, memória, sono, entre outros. Além disso, o 5-HTP também se transforma em melatonina (N-acetil-5-metoxitriptamina), um hormônio que, principalmente através da glândula pineal, regula o ciclo de sono-vigília.

Portanto, a administração de 5-hidroxitriptofano e sua biossíntese é fundamental na produção de moléculas chave, as quais auxiliam na melhora da depressão, sintomas de ansiedade, redução do estresse, equilíbrio do humor e sono.

A cafeína é classificada como um alcaloide natural, que desempenha um papel importante no equilíbrio energético através da ativação do sistema nervoso simpático, capaz de aumentar o desempenho cognitivo, vigília, disposição, capacidade de concentração e atenção. Além disso, promove energia e disposição e aumenta a concentração plasmática de catecolaminas, as quais estão relacionadas com a oxidação de ácidos graxos livres e aumento da taxa metabólica.

O pool é composto por ativos que atuam de forma sinérgica em inúmeras funções cerebrais. Contém L-carnitina, que opera no transporte de ácidos graxos para o interior da mitocôndria, oferecendo energia.

Como precursor de coenzima A e através da produção de neurotransmissores, o D-pantenol contribui para a estrutura e a função das células cerebrais, impulsionando a memória e regulando o sistema nervoso autônomo.

Em complemento, o cloreto de colina, considerado uma pré-vitamina, age como precursor da fosfatidilcolina ou acetilcolina, nutriente essencial para manter e proteger a saúde das membranas cerebrais e a melhora da memória.

Os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs), que incluem leucina, isoleucina e valina, são comumente utilizados para aumento do volume e potência muscular, neutralizando a diminuição de ATP, especialmente após exercícios intensos.

Eles atuam em diversos processos metabólicos, os quais incluem síntese de proteínas e crescimento celular controlados pelo complexo da mTOR. Além disso, sua suplementação aumenta a perfusão cerebral em pacientes com encefalopatia hepática, podendo melhorar os danos cerebrais e a resposta rápida, contribuindo para o desempenho da memória de curto prazo e prevenindo o declínio do desempenho perceptivo-motor através do alívio da fadiga central.

Através da sua ação ergogênica, o aminoácido L-arginina auxilia no aumento de força, potência e recuperação muscular em exercícios aeróbicos e de resistência. Além disso, promove a vasodilatação, aumentando a produção de óxido nítrico (NO) no músculo ativo durante a atividade física, o que melhora a recuperação muscular, otimiza a utilização de substrato e a remoção de metabólitos, como lactato de amônia.

Em complemento, através do fluxo sanguíneo arterial para a região dos órgãos genitais, a L-arginina pode atuar como um mediador na circulação e, consequentemente, na função sexual.

A L-glicina é um aminoácido que contribui para a síntese de várias biomoléculas e compostos biologicamente importantes. Além de desempenhar um papel essencial no sistema nervoso central e periférico (SNC), ela também atua como um neurotransmissor inibitório em receptores N-metil-D-aspartato (NMDA). Possui efeitos benéficos na melhora da qualidade do sono, da memória e da atenção, com amplo espectro de ação anti-inflamatória, propriedades citoprotetoras e imunomoduladoras.

Considerada um neuro-hormônio sintetizado principalmente pela glândula pineal, a melatonina é vista como um agente cronobiótico, com capacidade essencial no processo de sincronização circadiana do organismo, em particular do sono, da vigília e do metabolismo energético. Além da sua ação direta, alguns estudos sugerem que a melatonina apresenta uma excelente atividade antioxidante, atuando sobre os radicais livres de oxigênio e nitrogênio, e podendo ser utilizada frente a patologias relacionadas ao estresse oxidativo.

Ela também possui capacidade de proteger o coração de arritmias, doença arterial coronariana e hipertensão, melhorando a síntese e a ação da insulina nas células, contribuindo assim em casos de diabetes e síndrome dos ovários policísticos.

Estudos apontam, inclusive, que a melatonina anula os distúrbios neurovegetativos hormonais e relacionados à menopausa.

O ácido fólico é um cofator muito importante para a formação de novos compostos. A suplementação de ácido fólico pode causar melhora subjetiva dos fogachos por diminuir o aumento da atividade noradrenérgica central.

Outro fator importante está relacionado à sua capacidade de reduzir os níveis de homocisteína e, consequentemente, auxiliar na melhora da função endotelial e no perfil lipídico em mulheres pós-menopausa, além de contribuir para a redução do risco cardiovascular.

A Vitamina C é essencial para o metabolismo do ser humano e, por não ser metabolizada pelo corpo, é necessária sua ingestão ou suplementação.

Suas inúmeras funções envolvem: biossíntese para hormônios, cofator para enzimas, ação antioxidante, anti-inflamatória, entre outras.

Sua ação antioxidante pode ser benéfica quando associada em tratamentos para a menopausa, visto que o estresse oxidativo, junto ao declínio de estrogênio no sistema reprodutivo, está associado a vários sintomas nesse período, como: doenças cardíacas, distúrbios vasomotores e osteoporose.

Em relação aos sintomas da menopausa, a vitamina C demonstrou reduzir a intensidade e o número de ondas de calor através da melhora da função adrenal, permitindo um aumento na produção de hormônios, especificamente do estrogênio, promovendo assim um maior sistema de defesa antioxidante.

Considerando ainda a suplementação isolada de vitamina C, sua ação pode ser associada ao efeito protetor nos ossos, devido ao mecanismo de supressão na atividade dos osteoblastos e osteoclastos, o que evita a renovação óssea acelerada e eventual perda óssea.

O zinco é um oligoelemento multifuncional, estrutural, catalisador e regulador, essencial para diversos processos bioquímicos e metabólicos.

A associação da sua suplementação em diversas patologias tem sido positiva especialmente para diabetes, câncer, doenças neurodegenerativas e Alzheimer. Também possui benefícios terapêuticos para imunidade, estresse oxidativo, diminuição de citocinas inflamatórias e depressão.

Além da sua ação no metabolismo celular, o zinco está relacionado ao crescimento e função cerebral, com isso conclui-se que o equilíbrio intracelular e extracelular de zinco é de grande importância para manter sua homeostase em regiões do cérebro que estão relacionadas à depressão, como hipocampo, amígdala e córtex cerebral.

A L-carnitina é um aminoácido sintetizado no organismo (fígado, rins e cérebro), proveniente de dois aminoácidos essenciais: lisina e metionina.

Possui ação fundamental na geração de energia celular, através da transferência de ácidos graxos livres do citosol para as mitocôndrias, facilitando a oxidação e geração de adenosina trifosfato (ATP).

Sua suplementação pode aumentar o fluxo sanguíneo aos músculos, em virtude do seu efeito vasodilatador e antioxidante. Já em relação à fertilidade feminina, ela demonstra um aumento de oócitos maduros e de qualidade.

O metilsulfonilmetano (MSM) é um composto organosulfurado amplamente utilizado em condições inflamatórias. Seu mecanismo anti-inflamatório está relacionado com a inibição do fator nuclear pró-inflamatório kappa beta. Além disso, sua suplementação auxilia em processos de estresse oxidativo e danos musculares, diminuindo o dano tecidual e a inflamação, prevenindo também a apoptose de leucócitos.

A glutamina é um aminoácido muito importante para o corpo humano, principalmente na proliferação de linfócitos. Possui um papel essencial na produção de citocinas, macrófagos, fagocitários e neutrófilos, controlando, assim, respostas inflamatórias e infecciosas.

Além disso, pode ser utilizada em todas as células como uma substância para a produção de nicotinamida, fosfato de adenina, nucleotídeos, purinas, pirimidina e antioxidantes em numerosas vias biossintéticas adicionais, relacionadas à integridade das células e à sua função normal.

A L-lisina é um aminoácido essencial com importante participação na síntese de proteínas, como os anticorpos. Atua de forma coadjuvante em estados de imunodeficiência, sendo útil para infecções recorrentes, pois acelera o tempo de resposta dos neutrófilos no sistema imunológico, atacando e eliminando os patógenos. Além disso, também aumenta o número total de linfócitos produzidos pelo sistema imunológico.

É um tripeptídeo formado por três aminoácidos: ácido glutâmico, cisteína e glicina. Possui papel central na biotransformação e eliminação de xenobióticos, além de atuar na defesa das células contra o estresse oxidativo, devido ao seu potencial redox intracelular. É precursor de neurotransmissores e de outras moléculas essenciais, sendo indispensável para a proliferação celular, função imune e equilíbrio ácido-base.

A L-citrulina é um aminoácido não essencial que contribui no ciclo da ureia e na síntese do óxido nítrico (NO) através do aumento de L-arginina, seu substrato primário para a biossíntese. Estudos revelam que a suplementação com L-citrulina reduz a pressão arterial, demonstrando efeitos benéficos em quadros de hipertensão.

Como a via NO possui papel fundamental na resposta sexual excitatória, a L-citrulina em associação com outros compostos pode apresentar melhora nas funções sexuais.

A vitamina D3 tem sido estudada por seus diversos efeitos, como: atividade anti-inflamatória, imunomoduladora, antiproliferativa, metabolismo da insulina e contribuição para o metabolismo ósseo.

No endométrio, a vitamina D3 possui capacidade de diminuir interleucinas e prostaglandinas, assim como suprimir a expressão de COX-2.

Em um estudo com um grupo de mulheres que apresentavam dismenorreia, sua suplementação de D3 antes do ciclo menstrual apresentou uma redução da dor e do uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINES) durante um período de dois meses, em comparação ao grupo placebo.

A Coenzima Q10 desempenha um importante papel na cadeia respiratória, executando o transporte dos elétrons para a produção de trifosfato de adenosina (ATP) no interior da mitocôndria. Também atua na função de todas as células do corpo, principalmente daquelas com alta demanda energética, o que a torna essencial para a saúde de todos os tecidos e órgãos.

Além disso, possui ação antioxidante, protegendo as membranas biológicas contra a oxidação e auxiliando na regeneração de outros antioxidantes, como a vitamina E.

Conhecida como uma metoxantina, a PQQ atua como um antioxidante potente e modula vias de sinalização celular relacionadas a vários processos fisiológicos, como o metabolismo energético celular e a biogênese mitocondrial. Sua suplementação tem se mostrado benéfica para a melhora do desempenho físico, da capacidade cognitiva e da resposta imunológica, além de reduzir os efeitos danosos provocados pelo envelhecimento normal ou processos patológicos.

IMPORTANTE

Este material é de apoio técnico para prescritores e é proibida a sua divulgação
para consumidores, nos termos do item 5.14 da RDC 67/2007.

Além dos protocolos injetáveis, algumas fórmulas manipuladas, assim como alguns produtos da nossa linha Essential Nutrition podem complementar os tratamentos sugeridos e potencializar os resultados. Confira algumas sugestões:

Formulações orais para manejo do estresse, melhora do humor, qualidade do sono, sintomas pré-menstruais e ansiedade

Fórmula relaxante

Contém mistura sinérgica de ingredientes para regular as catecolaminas e o neurotransmissor inibitório, GABA. Benéfico para a ansiedade, manter o foco, amenizar as alterações de humor e alívio geral do estresse.

  • Inositol 1g
  • Ashwagandha KSM-66® 250mg
  • L-taurina 250mg
  • GABA 250mg
  • L-teanina 250mg

Sugestão de uso: 1 dose, 2 a 3 vezes ao dia.

Fórmula sono saudável com aminoácidos

A L-teanina e a L-taurina são responsáveis por promover o relaxamento e reduzir a ansiedade e o excesso de excitação. A L-glicina é a principal responsável pelo relaxamento dos músculos durante o estado REM, promovendo a saúde do sono.

  • L-glicina 500mg
  • L-taurina 500mg
  • L-teanina 500mg

Sugestão de uso: tomar 1 a 2 doses, antes de dormir.

Fórmula tranquilizadora fitoterápica

Composto de fitoterápicos ansiolíticos.

  • Melissa (2% ácidos romarínicos) 250mg
  • L-teanina 250mg

Sugestão de uso: tomar 1 a 2 doses em caso de ansiedade.

Fórmula sono saudável fitoterápica

Composto de ativos que agem na redução da ansiedade e promovem um sono saudável.

  • Melissa (2% ácidos romarínicos) 200mg
  • Passiflora (0,5% vitexina) 200mg
  • Valeriana (0,5% ácido valerênico) 200mg
  • Mulungu (0,07% Flavonóides) 200mg
  • L-teanina 200mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose 1 hora antes de deitar.

Fórmula básica para estresse primeira fase

Composto de vitaminas, minerais e antioxidantes com a finalidade de suprir carências nutricionais e combater o estresse oxidativo.

  • Magnólia (2% de honohiol) 250mg
  • L-teanina 250mg
  • Melissa (extrato seco) 250mg
  • Cobre (quelado) 0,3mg
  • Coenzima Q10 (lipofílica) 50mg
  • Cromo (quelado) 50mcg
  • Vitamina C Total 500mg
  • Magnésio (quelado) 150mg
  • aZinco (quelado)aa 30mg

Sugestão de uso: tomar a dose fracionada em 2 a 3 vezes ao dia, junto das refeições.

Fórmula antidepressiva menstrual

Composto que age na melhora dos quadros da TPM associados à depressão. Estudos comprovaram a eficácia de Saffr’Activ® na ansiedade e depressão de grau leve a moderado.

  • Saffr’Activ® 75mg
  • Piridoxal 5-fosfato 25mg
  • Magnésio (quelado) 200mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar a 2 comprimidos sublinguais de 5-HTP (50mg), 3 vezes ao dia.

Fórmula relaxante pré-menstrual plus

Composto de nutrientes e fitoterápicos que agem na redução da ansiedade e compulsão alimentar associadas à TPM. A presença de T. parthenium e S. alba reduz a cefaleia e enjôos.

  • Salix alba (1,5% salicina) 250mg
  • Tanacetum pathenium (0,5% partenolídeos) 150mg
  • Vitex agnus castus (0,5% agnosídeos) 100mg
  • Piridoxal 5-fosfato 25mg
  • Magnésio (quelado) 150mg
  • Hypericum perforatum (0,3% hipericina)… 150mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar a 2 comprimidos sublinguais de 5-HTP e de L-teanina, 50mg cada, 2 a 3 vezes ao dia.

Formulações orais para síndrome metabólica

Fórmula microbiota saudável para síndrome metabólica

Composto que auxilia no restabelecimento da microbiota saudável e no tratamento da obesidade e síndrome metabólica.

  • Akkermansia muciniphila BioMAMPs® 50mg

Sugestão de uso: tomar uma dose ao dia.

Fórmula para síndrome metabólica com probióticos

Associação da Naringenina e cepas probióticas que atuam na melhora de parâmetros relacionados à síndrome metabólica, como o perfil lipídico, a diminuição da pressão arterial, controle glicêmico e redução de peso corporal.

  • Naringenina 500mg
  • SynbiOFF® L. plantarum 50mg
  • Lactobacillus sakei 1 blh UFC
  • Lactobacillus delbrueckii 1 blh UFC
  • Lactobacillus gasseri 1 blh UFC
  • Bifidobacterium animalis 2 blh UFC
  • Saccharomyces cerevisiae 150mg

Sugestão de uso: tomar uma dose ao dia.

Fórmula redutora de gordura corporal

Combinação de ativos que agem no emagrecimento e saciedade, contribuindo para o controle do peso corporal.

  • Diglothin® 200mg
  • Citrus aurantium (6% sinefrina) 50mg
  • Gymmena sylvestre (75% ácido gymnemico) 50mg
  • 5-HTP 50mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose ao dia, após refeição.

Fórmula reguladora do metabolismo

Formulação que associa flavonoides com outras substâncias. Atua na melhora do metabolismo e na redução da resistência à insulina e do peso corporal de forma saudável.

  • Black tea (20% teaflavinas) 100mg
  • Naringenina 500mg
  • Hexanicotinato de inositol (Niacin Flush Free) 250mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose ao dia, pela manhã.

Fórmula para melhora do perfil lipídico e glicemia

Associação de ativos que melhoram o perfil lipídico e regulam a glicemia, contribuindo para a redução dos riscos associados à síndrome metabólica.

  • Hexanicotinato de inositol (Niacin Flush Free) 100mg
  • Ácido R-alfa-lipoico 50mg
  • Naringenina 500mg

Sugestão de uso: tomar 1 cápsula 30 minutos antes das refeições.

Alternativa ao uso das estatinas

Atua na redução do colesterol com a vantagem de ocasionar menos efeitos colaterais.

  • Hexanicotinato de inositol (Niacin Flush Free) 500mg
  • Fitoesteróis 500mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia

Fórmula para redução da absorção de colesterol

Fórmula com nutrientes que atuam na redução da absorção do colesterol proveniente da dieta.

  • Fitoesteróis (90% fitoesteróis) 500mg
  • Policosanol 20mg
  • Hexanicotinato de inositol (Niacin Flush Free) 500mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose ao dia, fracionada em duas vezes, antes das 2 principais refeições.

Fórmula para redução da resistência insulínica

Composição de ativos que auxiliam na modulação da ínsula e redução da resistência insulínica, importante fator associado à síndrome metabólica.

  • Vitamina D3 lipofílica 5.000UI
  • Naringenina 200mg
  • Berberina HCl 400mg
  • Green tea (extrato seco) 200mg
  • Ácido alfa lipóico 50mg

Sugestão de uso: tomar 1 cápsula ao dia, após a refeição.

Formulações orais e tópicas para melhora da libido feminina

Fórmula para libido – Fitoterápica

O Fenugreek aumenta a testosterona livre, a Maca e o Tribullus otimizam a função hormonal e o Gingko biloba favorece a circulação genital.

  • Fenugreek (50% fenusídeos) 200mg
  • Maca (30% saponinas) 500mg
  • Ginkgo biloba (25% glicosídeos) 100mg
  • Tribullus terrestris (40% saponinas) 500mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia.

Fórmula afrodisíaca

A Mucuna pruriens otimiza a produção de dopamina, neurotransmissor responsável pelo desejo sexual. O Fenugreek aumenta a testosterona livre e estradiol, bem como o desejo sexual e a excitação. Enquanto o magnésio e a vitamina B6 agem como cofatores da produção de neurotransmissores.

  • Mucuna pruriens (20% L-dopa) 500mg
  • Magnésio (quelado) 100mg
  • Fenugreek (50% fenusídeos) 200mg
  • Piridoxal 5-fosfato 10mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia.

Ocitocina

A ocitocina age como um neurotransmissor ou neuromodulador de diversos processos, tais como: modulação da ansiedade, libido, interação social e regulação das respostas neuroendócrinas e cardiovasculares. Ela aumenta a lubrificação e o tônus vaginal, intensifica a experiência do orgasmo e aumenta o desejo e a memória de experiências prazerosas.

  • Ocitocina 10 UI
  • Comprimidos sublinguais qsp 1 comprimido

Sugestão de uso: 1 comprimido via sublingual pela manhã e 1 comprimido 2 horas antes da atividade sexual.

Gel lubrificante vaginal com L-arginina

A L-arginina (precursora de óxido nítrico) aumenta a vasodilatação na região vaginal, melhorando a libido e a excitação feminina.

  • L-arginina 2%
  • Gel lubrificante vaginal qsp 1ml

Sugestão de uso: aplicar antes da relação sexual.

Gel lubrificante vaginal potencializado

A L-arginina, precursora do óxido nítrico, aumenta a vasodilatação na região vaginal, melhorando a libido e a excitação feminina. O Sildenafil age potencializando a ação da L-arginina.

  • Sildenafil 0,25%
  • L-arginina 3%
  • Gel lubrificante vaginal qsp 1ml

Sugestão de uso: aplicar antes da relação sexual.

Formulações orais com ação coadjuvante em tratamentos da síndrome dos ovários policísticos, endometriose, infecções urinárias e candidíase

Fórmula para SOP com D-chiro-inositol

O D-chiro-inositol melhora os parâmetros endócrinos e ovulatórios de pacientes com síndrome do ovário policístico. A metilcobalamina junto ao ácido folínico potencializa a ação do composto.

  • D-chiro-inositol 250mg
  • Metilcobalamina 500mcg
  • Ácido folínico 400mcg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar a vitamina D3 Liquid Capsules Essentia 5.000 UI.

Fórmula para otimizar a ovulação com metformina

Composto que otimiza o perfil lipídico, diminuindo o colesterol e os triglicerídeos. Inibe diretamente a produção de andrógenos, melhorando a resistência à insulina e os níveis de glicose.

  • Metformina 500mg
  • Metilcobalamina 500mcg
  • Ácido folínico 400mcg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar a vitamina D3 Liquid Capsules Essentia 5.000 UI.

Fórmula para SOP com Fenugreek seed extract

Recente estudo demonstrou a eficácia do feno-grego na redução dos cistos ovarianos e também na regulação menstrual. A vitamina B12 junto ao ácido folínico são importantes cofatores relacionados à síndrome metabólica.

  • Fenugreek (50% de fenusídeos) 250mg
  • Metilcobalamina 500mcg
  • Ácido folínico 400mcg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar a vitamina D3 Liquid Capsules Essentia 5.000 UI.

Fórmula com polifenóis para tratamento da endometriose

Em um estudo preliminar, 15 pacientes com endometriose profunda e refratárias a tratamentos hormonais anteriores foram tratadas com gestrinona por via vaginal, 3 vezes por semana, associada a 100mg de extrato seco de Pinus pinaster e 30mg de Resveratrol, por via oral diariamente. Os resultados foram a redução dos índices na escala visual analógica de dor (EVA), em média de 9 para 3 pontos nos primeiros 2 meses de tratamento. Após 6 meses de tratamento, nenhuma paciente apresentava dor.

  • Pinus pinaster 100mg
  • Resveratrol 30mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 1 vez ao dia. Pode ser feito o uso de Pinus pinaster 100mg em outra fórmula e associar 1 pastilha de Resveratrol sublingual (melhor efeito do Resveratrol é via sublingual).

Fórmulas para infecção urinária e candidíase

D-manose é um açúcar simples (monossacarídeo), encontrado em diversas frutas, como pêssego, maçã, laranja, mirtilo e cranberry. Auxilia a inibir a adesão da bactéria Escherichia coli no trato urinário, aumentando sua eliminação e, com isso, tratando e prevenindo infecções urinárias. Isso ocorre porque a parede celular da E. coli contém fímbrias que se aderem fortemente a receptores glicoproteicos do epitélio do trato urinário, e a D-manose tem uma estrutura semelhante a esses receptores glicoproteicos, agindo por inibição competitiva, impedindo a ligação dessas fímbrias. Com isso, a bactéria que não consegue se aderir às paredes celulares do urotélio é eliminada facilmente pela urina. Quando ingerida, a D-manose é absorvida em cerca de 30 minutos e, em seguida, excretada pela urina.

Cranberry é um fruto nativo da América do Norte, que apresenta em sua composição antocianidinas, flavonoides, proantocianidinas, taninos condensados e ácidos fenólicos. Sua ação é inibir a adesão de fímbrias do tipo I e P dos uropatógenos, como a E. coli no epitélio do sistema urinário, impedindo assim a colonização e infecção subsequente. As evidências sugerem que a fração antocianidina/proantocianidina é a que possui essa propriedade antiadesão.

Fórmula com D-manose para tratamento de infecção urinária

  • D-manose 2g

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 1 vez ao dia.

Fórmula com D-manose e Cranberry para tratamento de infecção urinária

  • D-manose 500mg
  • Cranberry (extrato padronizado 25% proantocianidinas) 500mg

Sugestão de uso: ingerir 1 dose, 6 vezes ao dia por 2 dias, depois 4 vezes por 2 dias, passando para 2 vezes ao dia até 3 dias após acabarem os sintomas.

ATENÇÃO: se não ocorrer melhora nos 3 dias iniciais, é necessário buscar outro tratamento, pois a infecção pode ser causada por uma outra bactéria diferente da E. coli.

Fórmula prevenção e tratamento candidíase

Composto de fitoterápicos e Saccharomyces boulardii que agem no aumento da imunidade e prevenção de candidíases de repetição.

  • Olive leaf extract (20% oleuropeína) 150mg
  • Echinacea (4% compostos fenólicos) 250mg
  • Biotina 5mg
  • Beta-Glucan Plus 50mg
  • Saccharomyces boulardii 100mg

Sugestão de uso: como prevenção, tomar 1 dose, 1 vez ao dia; como tratamento, tomar 1 dose, 2 a 3 vezes ao dia.

Fórmula preventiva de infecção urinária pós-relação com D-manose

  • D-manose 2g

Sugestão de uso: tomar 1 dose antes e após a relação sexual.

Fórmula megaprobióticos

A suplementação com Lactobacillus reduz a candidíase vaginal e infecções urinárias de repetição. Associamos à fórmula o FOS (frutooligossacarídeo), um oligossacarídeo de origem vegetal, com ação prebiótica. Essa associação com os probióticos potencializa a eficácia, pois aumenta sua replicação.

  • Lactobacillus acidophilus 5 x 109 UFC
  • Bifidobacterium bifidum 5 x 109 UFC
  • Lactobacillus bulgaricus 5 x 109 UFC
  • Lactobacillus rhamnosus 5 x 109 UFC
  • FOS 500mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose ao dia.

Formulações orais com ativos que atuam em sinergia na redução dos sintomas provenientes da menopausa

Modulação estrogênica

Composto de fitoterápicos padronizados em substâncias semelhantes ao estrogênio, além do Pinus pinaster que atua na prevenção de problemas vasculares, e o DIM que modula o metabolismo hepático dos estrogênios.

  • DIM (lipofílico) 100mg
  • Isoflavonas 100mg
  • Black cohosh 150mg
  • Pinus pinaster 50mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar 2 cápsulas de óleo de linhaça.

Composto quimioprotetor ginecológico

Composto de fitoterápicos e substâncias que atuam na modulação do metabolismo de estrogênios, além de ação antioxidante e anti-inflamatória.

  • DIM (lipofílico) 100mg
  • Indol-3-carbinol 100mg
  • Brocolinol 200mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia.

Menoconcept

Indicado para mulheres que estão na pré-menopausa, com perturbações no ciclo menstrual, pois auxilia nos sintomas, como redução dos fogachos, ansiedade e reequilíbrio da massa óssea.

  • Red clover 50mg
  • 5-hidroxitriptofano 150mg
  • Ashwagandha KSM-66® 200mg
  • Humulus lupulus (extrato) 100mg
  • Vitamina C Total 300mg
  • Zinco (quelado) 20mg
  • Selênio (metionina) 100mcg
  • Vitamina B3 (nicotinamida) 50mg
  • Vitamina B6 (piridoxal 5-fosfato) 20mg
  • Vitamina B1 (cloridrato de tiamina) 20mg
  • Ácido folínico 0,4mg
  • Vitamina D3 (lipofílica) 5.000 UI
  • Vitamina B12 (metilcobalamina) 500mcg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia.

Composto para menopausa – Fitoterápico

Composto de fitoterápicos que agem em conjunto na redução dos sintomas da menopausa, como: número de fogachos, sintomas vasomotores, ansiedade e depressão.

  • Isoflavona da soja (5% genisteína) 60mg
  • Red clover (8% isoflavonas) 50mg
  • Cimicifuga racemosa (2,5% triterpenos glicosídeos) 50mg
  • Saffr´Activ® 50mg
  • Yam mexicano (6% diogenina) 100mg
  • Pinus pinaster 50mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia. Associar 2 cápsulas de óleo de linhaça.

Composto otimizador hormonal

Composto de fitoterápicos, hormônios e precursores hormonais que agem em conjunto para combater os sintomas da menopausa e otimizar os níveis de progesterona e estrogênios.

  • Cimicifuga racemosa (2,5% triterpenos glicosídeos) 80mg
  • Progesterona (lipofílica) 40mg
  • Isoflavona da soja (5% genisteína) 120mg
  • Red clover (8% isoflavonas) 50mg
  • Pregnenolona base 50mg
  • Boro (quelado) 2mg

Sugestão de uso: tomar 1 cápsula ao dia.

Tratamentos fitoterápicos para uso diário

Antifogacho matinal

Combinação de fitoestrogênios eficazes na redução dos sintomas da menopausa, aliados a fitoterápicos com ação adaptogênica, imunoestimulante e antioxidante.

  • Black cohosh (2,5% triterpenos glicosídeos) 50mg
  • Isoflavonas da soja (5% genisteína) 100mg
  • Green tea (95% polifenóis) 150mg
  • Panax ginseng (10% ginsenosídeos) 150mg

Sugestão de uso: tomar 1 cápsula ao dia pela manhã.

Antifogacho noturno

Combinação de fitoestrogênios eficazes na redução dos sintomas da menopausa, aliados a fitoterápicos ansiolíticos e indutores do sono.

  • Black cohosh (2,5% triterpenos glicosídeos) 50mg
  • Isoflavonas da soja (5% genisteína) 100mg
  • Hypericum perforatum (0,3% hipericina) 300mg
  • Valeriana (0,5% ácido valerênico) 150mg

Sugestão de uso: tomar 1 cápsula à noite, antes de dormir.

Fórmula do equilíbrio hormonal

Composto que fornece suporte hormonal durante a menopausa e transições corporais naturais, pois quando ocorre o desequilíbrio hormonal, pode-se desenvolver sintomas como alterações de humor, ondas de calor e perda de concentração.

  • Vitamina E Total 100 UI
  • Tiamina (B1) 10mg
  • Riboflavina (B2) 5mg
  • Niacina (B3) (niacinamida) 20mg
  • Vitamina B6 (piridoxal 5-fosfato) 25mg
  • Ácido folínico 500mcg
  • Magnésio (citrato) 100mg
  • Selênio (metionina) 70mg
  • Isoflavonas da soja (5% genisteína) 100mg
  • Dong quai 75mg
  • Ginseng siberiano 70mg
  • Trevo vermelho 50mg
  • Vitex agnus castus (0,5% agnosídeos) 70mg
  • Boro (Albion®) 3mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia.

Atrofia vaginal – Hormônio free

Indicado para pacientes com vaginite atrófica que não querem ou não podem utilizar tratamento tópico com estrogênios. Promove o alívio dos sintomas, melhora da atrofia do epitélio e diminuição do pH vaginal.

  • HA Powder® (ácido hialurônico pó) 5mg
  • Óvulo vaginal qsp 1 unidade

Sugestão de uso: aplicar 1 óvulo vaginal ao dia.

Produtos Essential Nutrition

Além das terapias injetáveis e das sugestões home care, selecionamos alguns produtos que auxiliam no manejo do estresse e na melhora do humor, da qualidade do sono, dos sintomas pré-menstruais, da ansiedade e da síndrome metabólica. E ainda outros produtos que apresentam ação coadjuvante em tratamentos da síndrome dos ovários policísticos, endometriose, infecções urinárias e candidíase, e na redução dos sintomas provenientes da menopausa.

Collagen Gut

Collagen Resilience

CoQ10

Fiberlift

Gama Lift

Golden Lift

Melatonin Duo Harmony

Melatonin Duo

Omega Core

Vitalift

Vit D3

Vit C

Agarwal, A., Sengupta, P. & Durairajanayagam, D. Role of L-carnitine in female infertility. Reprod Biol Endocrinol 16, 5 (2018). https://doi.org/10.1186/s12958-018-0323-4

AGARWAL, Ashok; DOSHI, Sejalb. The role of oxidative stress in menopause. Journal Of Mid-Life Health, [S.L.], v. 4, n. 3, p. 140, 2013. Medknow. http://dx.doi.org/10.4103/0976-7800.118990.

AHMADIAN, Mehdi; ROSHAN, Valiollah Dabidi; ASHOURPORE, Eadeh. Taurine Supplementation Improves Functional Capacity, Myocardial Oxygen Consumption, and Electrical Activity in Heart Failure. Journal Of Dietary Supplements, [S.L.], v. 14, n. 4, p. 422-432, 24 jan. 2017. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.1080/19390211.2016.1267059.

AKAGAWA, M.; NAKANO, M.; IKEMOTO, K. Recent progress in studies on the health benefits of pyrroloquinoline quinone. Bioscience, Biotechnology, And Biochemistry, v. 80, n. 1, p. 13-22, 2 jan. 2016. Oxford University Press (OUP). /dx.doi.org/10.1080/09168451.2015.1062715.

Akimoto-Gunther L, Bonfim-Mendonça PdS, Takahachi G, Irie MMT, Miyamoto S, et al. (2016) Highlights Regarding Host Predisposing Factors to Recurrent Vulvovaginal Candidiasis: Chronic Stress and Reduced Antioxidant Capacity. PLOS ONE 11(7): e0158870. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0158870

Akram, M. et al., 2020, ‘Role of Phenylalanine and Its Metabolites in Health and Neurological Disorders’, in A. Surguchov (ed.), Synucleins – Biochemistry and Role in Diseases, IntechOpen, London. 10.5772/intechopen.83648.

ALCÁZAR-FABRA, María; NAVAS, Plácido; BREA-CALVO, Gloria. Coenzyme Q biosynthesis and its role in the respiratory chain structure. Biochimica Et Biophysica Acta (Bba) – Bioenergetics, [S.L.], v. 1857, n. 8, p. 1073-1078, ago. 2016. Elsevier BV. dx.doi.org/10.1016/j.bbabio.2016.03.010

ALVARES, Thiago S.; MEIRELLES, Cláudia M.; BHAMBHANI, Yagesh N.; PASCHOALIN, Vânia M.F.; GOMES, Paulo S.C.. L-Arginine as a Potential Ergogenic Aid in Healthy Subjects. Sports Medicine, [S.L.], v. 41, n. 3, p. 233-248, mar. 2011. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.2165/11538590-000000000-00000.

AMAR-YULI, I.; ASERIN, A.; GARTI, N.. Coenzyme Q 10: functional benefits, dietary uptake and delivery mechanisms. Designing Functional Foods, [S.L.], p. 676-700, 2009. Elsevier. dx.doi.org/10.1533/9781845696603.3.663.

ANDRADE, Aline Zyman de; RODRIGUES, Jhenifer Kliemchen; DIB, Luciana Azôr; ROMÃO, Gustavo Salata; FERRIANI, Rui Alberto; JORDÃO JUNIOR, Alceu Afonso; NAVARRO, Paula Andrea de Albuquerque Salles. Marcadores séricos de estresse oxidativo em mulheres inférteis com endometriose. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, [S.L.], v. 32, n. 6, p. 279-285, jun. 2010. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0100-72032010000600005.

AUNG, Han H.; DEY, Lucy; RAND, Victoria; YUAN, Chun-Su. Alternative Therapies for Male and Female Sexual Dysfunction. The American Journal Of Chinese Medicine, [S.L.], v. 32, n. 02, p. 161-173, Jan. 2004. World Scientific Pub Co Pte Lt. http://dx.doi.org/10.1142/s0192415x04001837.

Baheiraei, A., Mirghafourvand, M., Mohammadi, E. et al. Health-promoting behaviors and social support of women of reproductive age, and strategies for advancing their health: Protocol for a mixed methods study. BMC Public Health 11, 191 (2011). https://doi.org/10.1186/1471-2458-11-191

Bannai M, Kawai N, Ono K, Nakahara K, Murakami N. The effects of glycine on subjective daytime performance in partially sleep-restricted healthy volunteers. Front Neurol. 2012 Apr 18;3:61. doi: 10.3389/fneur.2012.00061. PMID: 22529837; PMCID: PMC3328957.

Bellipanni, G., et al. Effects of melatonin in perimenopausal and menopausal women: our personal experience. Ann N Y Acad Sci. 1057:393-402, 2005.

BELLIPANNI, G; BIANCHI, P; PIERPAOLI, W; BULIAN, D; ILYIA, E. Effects of melatonin in perimenopausal and menopausal women: a randomized and placebo controlled study. Experimental Gerontology, [S.L.], v. 36, n. 2, p. 297-310, fev. 2001. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/s0531-5565(00)00217-5.

Bentinger M, Tekle M, Dallner G. Coenzyme Q–biosynthesis and functions. Biochem Biophys Res Commun. 2010 May 21;396(1):74-9. doi: 10.1016/j.bbrc.2010.02.147. PMID: 20494114.

Bentley-Lewis, R., Koruda, K. & Seely, E. The metabolic syndrome in women. Nat Rev Endocrinol 3, 696–704 (2007). https://doi.org/10.1038/ncpendmet0616

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 1. ed., 2. Brasília:Editora do Ministério da Saúde, 2011.

CALDERÓN‐OSPINA, Carlos Alberto; NAVA‐MESA, Mauricio Orlando. B Vitamins in the nervous system: current knowledge of the biochemical modes of action and synergies of thiamine, pyridoxine, and cobalamin. Cns Neuroscience & Therapeutics, [S.L.], v. 26, n. 1, p. 5-13, 6 set. 2019. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/cns.13207.

CASTRO, Luiz Claudio Gonçalves de. O sistema endocrinológico vitamina D. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, [S.L.], v. 55, n. 8, p. 566-575, nov. 2011. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0004-27302011000800010.

CAVALCANTE, R. M. S.; MOURA, M. S. B. de; RODRIGUES, G. P.; NOGUEIRA, N. do N. Zinc suplementation strategies for adults. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 8, p. e540986115, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i8.6115. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/6115. Acesso em: 21 oct. 2022.

CHEN, Chaoran; XIA, Shufang; HE, Jialiang; LU, Guangli; XIE, Zhenxing; HAN, Hongjie. Roles of taurine in cognitive function of physiology, pathologies and toxication. Life Sciences, [S.L.], v. 231, p. 116584, ago. 2019. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.lfs.2019.116584.

CIERI-HUTCHERSON, Nicole E. et al. Systematic review of L-arginine for the treatment of hypoactive sexual desire disorder and related conditions in women. Pharmacy, v. 9, n. 2, p. 71, 2021.

COELHO, Christianne de Faria; MOTA, João Felipe; BRAGRANÇA, Euclésio; BURINI, Roberto Carlos. Aplicações clínicas da suplementação de L-carnitina. Revista de Nutrição, [S.L.], v. 18, n. 5, p. 651-659, out. 2005. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1415-52732005000500008.

COSTA, Ana Maria. Participação social na conquista das políticas de saúde para mulheres no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 14, n. 4, p. 1073-1083, ago. 2009. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1413-81232009000400014.

Couto, Lauren Izabel Medeiros et al. Effects of nutritional supplementation with l-arginine on repair of injuries due to muscle strain: experimental study on rats. Campina Grande do Sul, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Ortopedia [online]. 2015, v. 50, n. 4. Acesso em 28 de outubro de 2022, pp. 455-461. https://doi.org/10.1016/j.rboe.2015.07.004.

CRUZAT, Vinicius; ROGERO, Marcelo Macedo; KEANE, Kevin Noel; CURI, Rui; NEWSHOLME, Philip. Glutamine: metabolism and immune function, supplementation and clinical translation. Nutrients, [S.L.], v. 10, n. 11, p. 1564, 23 out. 2018. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu10111564.

CURTO, Miguel. Ortomolecular: fundamentos e prática. São Paulo: Atheneu, 2015. 476 p.Deijen J.B., Orlebeke J.F. “Effect of tyrosine on cognitive function and blood pressure under stress.” Brain Research Bulletin. 1994;33(3):319-23.

Deswal R, Narwal V, Dang A, Pundir CS. The Prevalence of Polycystic Ovary Syndrome: A Brief Systematic Review. J Hum Reprod Sci. 2020 Oct-Dec;13(4):261-271. doi: 10.4103/jhrs.JHRS_95_18. Epub 2020 Dec 28. PMID: 33627974; PMCID: PMC7879843.

DINICOLA, Simona; MININI, Mirko; UNFER, Vittorio; VERNA, Roberto; CUCINA, Alessandra; BIZZARRI, Mariano. Nutritional and Acquired Deficiencies in Inositol Bioavailability. Correlations with Metabolic Disorders. International Journal Of Molecular Sciences, [S.L.], v. 18, n. 10, p. 2187, 20 out. 2017. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/ijms18102187.

Dodd, F.L., Kennedy, D.O., Stevenson, E.J. et al. Acute and chronic effects of multivitamin/mineral supplementation on objective and subjective energy measures. Nutr Metab (Lond) 17, 16 (2020). https://doi.org/10.1186/s12986-020-00435-1

DOROFTEI, Bogdan; ILIE, Ovidiu-Dumitru; COJOCARIU, Roxana-Oana; CIOBICA, Alin; MAFTEI, Radu; GRAB, Delia; ANTON, Emil; MCKENNA, Jack; DHUNNA, Nitasha; SIMIONESCU, Gabriela. Minireview Exploring the Biological Cycle of Vitamin B3 and Its Influence on Oxidative Stress: further molecular and clinical aspects. Molecules, [S.L.], v. 25, n. 15, p. 3323, 22 jul. 2020. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/molecules25153323.

Essentia: Saúde e Resultados 2ª edição, 2016’’

Fernstrom, John D. “Branched-chain amino acids and brain function.” The Journal of nutrition 135.6 (2005): 1539S-1546S.

Flicker L, Grimley Evans G. Piracetam for dementia or cognitive impairment. Cochrane Database Syst Rev. 2001;(2):CD001011. doi: 10.1002/14651858.CD001011. PMID: 11405971.

GAJARDO, Yanka Zanolo; RAMOS, Juliana Nunes; MURARO, Ana Paula; MOREIRA, Naiara Ferraz; FERREIRA, Marcia Gonçalves; RODRIGUES, Paulo Rogério Melo. Problemas com o sono e fatores associados na população brasileira: pesquisa nacional de saúde, 2013. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 26, n. 2, p. 601-610, fev. 2021. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232021262.08412020. Gaweesh, Sherief S.; Abdel-Gawad, Mohamed M. M.; Nagaty, Ahmed M.; Ewies, Ayman A. A. (2010). Folic acid supplementation may cure hot flushes in postmenopausal women: a prospective cohort study. Gynecological Endocrinology, 26(9), 658–662. doi:10.3109/09513591003686288

GENAZZANI, Alessandro D.. Inositol as putative integrative treatment for PCOS. Reproductive Biomedicine Online, [S.L.], v. 33, n. 6, p. 770-780, dez. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.rbmo.2016.08.024.

Ghasemian Langrodi S, Farzanegi P, Moradi L. The effect of swimming training and vitamin B6 intake on ALDH1A2 gene expression in endometriosis rat. RJMS 2021; 28 (3) :152-162

GIOVANNI, Alessandra di; EXACOUSTOS, Caterina; GUERRIERO, Stefano. Guidelines for diagnosis and treatment of endometriosis. Italian Journal Of Gynaecology & Obstetrics, [S.L.], n. 2, p. 7-21, 30 jun. 2018. Partner-Graf srl. http://dx.doi.org/10.14660/2385-0868-85.

GONZALES, Joaquin U.; RAYMOND, Andrea; ASHLEY, John; KIM, Youngdeok. Does L-citrulline supplementation improve exercise blood flow in older adults? Experimental Physiology, [S.L.], v. 102, n. 12, p. 1661-1671, 13 out. 2017. Wiley. http://dx.doi.org/10.1113/ep086587.

GRÖBER, Uwe; SCHMIDT, Joachim; KISTERS, Klaus. Magnesium in Prevention and Therapy. Nutrients, [S.L.], v. 7, n. 9, p. 8199-8226, 23 set. 2015. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu7095388.

GUPTA, J. K.; SANA, Qureshi Shaiba. Potential benefits of methylcobalamin: A review. Austin J Pharmacol Ther, v. 3, n. 3, p. 1076, 2015.

HALPERN, Gabriela; SCHOR, Eduardo; KOPELMAN, Alexander. Nutritional aspects related to endometriosis. Revista da Associação Médica Brasileira, [S.L.], v. 61, n. 6, p. 519-523, dez. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.61.06.519.

Harpaz, Eynav, Tamir, Snait, Weinstein, Ayelet and Weinstein, Yitzhak. “The effect of caffeine on energy balance” Journal of Basic and Clinical Physiology and Pharmacology, vol. 28, no. 1, 2017, pp. 1-10. https://doi.org/10.1515/jbcpp-2016-0090

HARRIS, C. B; et al. Dietary pyrroloquinoline quinone (PQQ) alters indicators of inflammation and mitochondrial-related metabolism in human subjects. The Journal Of Nutritional Biochemistry, v. 24, n. 12, p. 2076-2084, dez. 2013. Elsevier BV. /dx.doi.org/10.1016/j.jnutbio.2013.07.008.

Hase A, Jung SE, aan het Rot M. Behavioral and cognitive effects of tyrosine intake in healthy human adults. Pharmacol Biochem Behav. 2015 Jun;133:1-6. doi: 10.1016/j.pbb.2015.03.008. Epub 2015 Mar 20. PMID: 25797188.

Hasegawa T, Ikeda HO, Iwai S, et al. Branched chain amino acids attenuate major pathologies in mouse models of retinal degeneration and glaucoma [published correction appears in Heliyon. 2018 Aug 21;4(8):e00739]. Heliyon. 2018;4(2):e 00544. Published 2018 Mar 1. doi:10.1016/j.heliyon.2018.e00544

HIDESE; OGAWA; OTA; ISHIDA; YASUKAWA; OZEKI; KUNUGI. Effects of L-Theanine Administration on Stress-Related Symptoms and Cognitive Functions in Healthy Adults: a randomized controlled trial. Nutrients, [S.L.], v. 11, n. 10, p. 2362, 3 out. 2019. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu11102362. HUIJS, Emma; NAP, Annamiek. The effects of nutrients on symptoms in women with endometriosis: a systematic review. Reproductive Biomedicine Online, [S.L.], v. 41, n. 2, p. 317-328, ago. 2020. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.rbmo.2020.04.014.

HUMMEL, M.; STANDL, E.; SCHNELL, O.. Chromium in Metabolic and Cardiovascular Disease. Hormone And Metabolic Research, [S.L.], v. 39, n. 10, p. 743-751, out. 2007. Georg Thieme Verlag KG. http://dx.doi.org/10.1055/s-2007-985847.

INAGAWA, Kentaro; HIRAOKA, Takenori; KOHDA, Tohru; YAMADERA, Wataru; TAKAHASHI, Michio. Subjective effects of glycine ingestion before bedtime on sleep quality. Sleep And Biological Rhythms, [S.L.], v. 4, n. 1, p. 75-77, fev. 2006. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1111/j.1479-8425.2006.00193.x.

Institute of Medicine. Food and Nutrition Board. Dietary Reference Intakes: Thiamin, Riboflavin, Niacin, Vitamin B6, Folate, Vitamin B12, Pantothenic Acid, Biotin, and Choline. Washington, DC: National Academy Press, 1998.

ISMAIL, Nashwah; KUREISHY, Nina; CHURCH, Stephanie J.; SCHOLEFIELD, Melissa; UNWIN, Richard D.; XU, Jingshu; PATASSINI, Stefano; COOPER, Garth J.s.. Vitamin B5 (d-pantothenic acid) localizes in myelinated structures of the rat brain: potential role for cerebral vitamin b5 stores in local myelin homeostasis. Biochemical And Biophysical Research Communications, [S.L.], v. 522, n. 1, p. 220-225, jan. 2020. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.bbrc.2019.11.052.

ITOH, Y; et al. Effect of the Antioxidant Supplement Pyrroloquinoline Quinone Disodium Salt (BioPQQ™) on Cognitive Functions. Advances In Experimental Medicine And Biology, p. 319-325, 2016. Springer New York. /dx.doi.org/10.1007/978-1-4939-3023-4_40.

Kennedy DO. B Vitamins and the Brain: Mechanisms, Dose and Efficacy–A Review. Nutrients. 2016;8(2):68. Published 2016 Jan 27. doi:10.3390/nu8020068

KIM, Dong-Hee; KIM, Seok-Hwan; JEONG, Woo-Seok; LEE, Ha-Yan. Effect of BCAA intake during endurance exercises on fatigue substances, muscle damage substances, and energy metabolism substances. Journal Of Exercise Nutrition And Biochemistry, [S.L.], v. 17, n. 4, p. 169-180, 28 nov. 2013. Korea Society for Exercise Nutrition. http://dx.doi.org/10.5717/jenb.2013.17.4.169.

Laganà AS, Rossetti P, Sapia F, Chiofalo B, Buscema M, Valenti G, Rapisarda AMC, Vitale SG. Evidence-Based and Patient-Oriented Inositol Treatment in Polycystic Ovary Syndrome: Changing the Perspective of the Disease. Int J Endocrinol Metab. 2017 Jan 22;15(1):e43695. doi: 10.5812/ijem.43695. PMID: 28835764; PMCID: PMC5554611. Ligi Paul, Per Magne Ueland, Jacob Selhub, Mechanistic perspective on the relationship between pyridoxal 5′-phosphate and inflammation, Nutrition Reviews, Volume 71, Issue 4, 1 April 2013, Pages 239–244, https://doi.org/10.1111/nure.12014

Maffei ME. 5-Hydroxytryptophan (5-HTP): Natural Occurrence, Analysis, Biosynthesis, Biotechnology, Physiology and Toxicology. International Journal of Molecular Sciences. 2021; 22(1):181. https://doi.org/10.3390/ijms22010181

MAHONEY, Diane E.; HIEBERT, John B.; THIMMESCH, Amanda; PIERCE, John T.; VACEK, James L.; CLANCY, Richard L.; SAUER, Andrew J.; PIERCE, Janet D.. Understanding D-Ribose and Mitochondrial Function. Advances In Bioscience And Clinical Medicine, [S.L.], v. 6, n. 1, p. 1, 13 fev. 2018. Australian International Academic Centre. http://dx.doi.org/10.7575/aiac.abcmed.v.6n.1p.1.

MARCOVINA, Santica M.; SIRTORI, Cesare; PERACINO, Andrea; GHEORGHIADE, Mihai; BORUM, Peggy; REMUZZI, Giuseppe; ARDEHALI, Hossein. Translating the basic knowledge of mitochondrial functions to metabolic therapy: role of l-carnitine. Translational Research, [S.L.], v. 161, n. 2, p. 73-84, fev. 2013. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.trsl.2012.10.006.

MARLES, Robin; ASSINEWE, Valerie; FOGG, Julia; KACZMAREK, Milosz; SEK, Michael. Taurine. Encyclopedia Of Dietary Supplements, Second Edition, [S.L.], p. 738-747, 25 jun. 2010. CRC Press. http://dx.doi.org/10.1201/b14669-85.

MERWE, Mariè van Der; BLOOMER, Richard J.. The Influence of Methylsulfonylmethane on Inflammation-Associated Cytokine Release before and following Strenuous Exercise. Journal Of Sports Medicine, [S.L.], v. 2016, p. 1-9, 2016. Hindawi Limited. http://dx.doi.org/10.1155/2016/7498359.

MERWE, Mariè van Der; BLOOMER, Richard J.. The Influence of Methylsulfonylmethane on Inflammation-Associated Cytokine Release before and following Strenuous Exercise. Journal Of Sports Medicine, [S.L.], v. 2016, p. 1-9, 2016. Hindawi Limited. http://dx.doi.org/10.1155/2016/7498359.

Minardi D, d’Anzeo G, Cantoro D, Conti A, Muzzonigro G. Urinary tract infections in women: etiology and treatment options. Int J Gen Med. 2011;4:333-43. doi: 10.2147/IJGM.S11767. Epub 2011 Apr 19. PMID: 21674026; PMCID: PMC3108201.

MINICH, Deanna M.; BROWN, Benjamin I.. A Review of Dietary (Phyto)Nutrients for Glutathione Support. Nutrients, [S.L.], v. 11, n. 9, p. 2073, 3 set. 2019. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu11092073.

Mirenayat, M.S., Moradi, S., Mohammadi, H. et al. Effect of L-Citrulline Supplementation on Blood Pressure: a Systematic Review and Meta-Analysis of Clinical Trials. Curr Hypertens Rep 20, 98 (2018). https://doi.org/10.1007/s11906-018-0898-3

Neinast M, Murashige D, Arany Z. Branched Chain Amino Acids. Annu Rev Physiol. 2019;81:139-164. doi:10.1146/annurev-physiol-020518-114455 Neinast, Michael, Danielle Murashige, and Zoltan Arany. “Branched chain amino acids.” Annual review of physiology 81 (2019): 139.

NEWSHOLME, Eric A.; BLOMSTRAND, Eva. Branched-chain amino acids and central fatigue. The Journal of nutrition, v. 136, n. 1, p. 274S-276S, 2006.

NOBILE, Clarissa J.; JOHNSON, Alexander D.. Candida albicans Biofilms and Human Disease. Annual Review Of Microbiology, [S.L.], v. 69, n. 1, p. 71-92, 15 out. 2015. Annual Reviews. http://dx.doi.org/10.1146/annurev-micro-091014-104330.

NOBLE, Rudolf E.. Depression in women. Metabolism, [S.L.], v. 54, n. 5, p. 49-52, maio 2005. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.metabol.2005.01.014.

Noel N. Kim, David W. Christianson, Abdulmaged M. Traish, Role of Arginase in the Male and Female Sexual Arousal Response, The Journal of Nutrition, Volume 134, Issue 10, October 2004, Pages 2873S–2879S, https://doi.org/10.1093/jn/134.10.2873S

O’Mahony SM, Clarke G, Borre YE, Dinan TG, Cryan JF. Serotonin, tryptophan metabolism and the brain-gut-microbiome axis. Behav Brain Res. 2015 Jan 15;277:32-48. doi: 10.1016/j.bbr.2014.07.027. Epub 2014 Jul 29. PMID: 25078296.

PARADISI, G.. Endothelial function in post-menopausal women: effect of folic acid supplementation. Human Reproduction, [S.L.], v. 19, n. 4, p. 1031-1035, 12 fev. 2004. Oxford University Press (OUP). http://dx.doi.org/10.1093/humrep/deh189.

PÉREZ-TORRES, Israel; MARÍA ZUNIGA-MUNOZ, Alejandra; GUARNER-LANS, Veronica. Beneficial effects of the amino acid glycine. Mini reviews in medicinal chemistry, v. 17, n. 1, p. 15-32, 2017.

PINHO, Paloma de Sousa; ARAðJO, Tânia Maria de. Associação entre sobrecarga doméstica e transtornos mentais comuns em mulheres. Revista Brasileira de Epidemiologia, [S.L.], v. 15, n. 3, p. 560-572, set. 2012. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1415-790×2012000300010.

RAGHU, Ganesh; BERK, Michael; CAMPOCHIARO, Peter A.; JAESCHKE, Hartmut; MARENZI, Giancarlo; RICHELDI, Luca; WEN, Fu-Qiang; NICOLETTI, Ferdinando; CALVERLEY, Peter M. A.. The Multifaceted Therapeutic Role of N-Acetylcysteine (NAC) in Disorders Characterized by Oxidative Stress. Current Neuropharmacology, [S.L.], v. 19, n. 8, p. 1202-1224, ago. 2021. Bentham Science Publishers Ltd.. http://dx.doi.org/10.2174/1570159×19666201230144109.

RANI, Monika; AGGARWAL, Rohit; VOHRA, Kanchan. Effect of N-Acetylcysteine on Metabolic Profile in Metabolic Syndrome Patients. Metabolic Syndrome And Related Disorders, [S.L.], v. 18, n. 7, p. 341-346, 1 set. 2020. Mary Ann Liebert Inc. http://dx.doi.org/10.1089/met.2020.0017.

Richard DM, Dawes MA, Mathias CW, Acheson A, Hill-Kapturczak N, Dougherty DM. L-Tryptophan: Basic Metabolic Functions, Behavioral Research and Therapeutic Indications. Int J Tryptophan Res. 2009;2:45-60. doi:10.4137/ijtr.s2129

Ripps H, Shen W. Review: taurine: a “very essential” amino acid. Mol Vis. 2012;18:2673-86. Epub 2012 Nov 12. PMID: 23170060; PMCID: PMC3501277.

RUCKER, R. B; et al. Handbook of vitamins, 4th ed. Taylor & Francis Group, CRC Press; 2007.

SANTAMARIA, A.; GIORDANO, D.; CORRADO, F.; PINTAUDI, B.; INTERDONATO, M. L.; VIESTE, G. di; BENEDETTO, A. di; D’ANNA, R.. One-year effects of myo-inositol supplementation in postmenopausal women with metabolic syndrome. Climacteric, [S.L.], v. 15, n. 5, p. 490-495, 23 dez. 2011. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.3109/13697137.2011.631063.

SANTOS, Jordana Tres; KRUTZMANN, Marise Wilsmann; BIERHALS, Camila Correa; FEKSA, Luciane Rosa. OS EFEITOS DA SUPLEMENTAÇÃO COM VITAMINA C. Revista Conhecimento Online, [S.L.], v. 1, p. 139, 11 jan. 2019. Associacao Pro-Ensino Superior em Novo Hamburgo. http://dx.doi.org/10.25112/rco.v1i0.1187.

Sekhon, L.H., Agarwal, A. (2013). The Menopause and Oxidative Stress. In: Agarwal, A., Aziz, N., Rizk, B. (eds) Studies on Women’s Health. Oxidative Stress in Applied Basic Research and Clinical Practice. Humana Press, Totowa, NJ. https://doi.org/10.1007/978-1-62703-041-0_11

SCHNEIDER, J Gabriel; TOMPKINS, Christine; BLUMENTHAL, Roger S.; MORA, Samia. The Metabolic Syndrome in Women. Cardiology In Review, [S.L.], v. 14, n. 6, p. 286-291, Nov. 2006. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/01.crd.0000233757.15181.67.

SHAH, Ali Mujtaba; WANG, Zhisheng; MA, Jian. Glutamine Metabolism and Its Role in Immunity, a Comprehensive Review. Animals, [S.L.], v. 10, n. 2, p. 326, 19 fev. 2020. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/ani10020326.

Sharma, Eshita & Joshi, Robin & Gulati, Ashu. (2018). L-Theanine: An astounding sui generis integrant in tea. Food Chemistry. 242. 601-610. 10.1016/j.foodchem.2017.09.046. Shaw K, Turner J, Del Mar C. Tryptophan and 5-hydroxytryptophan for depression. Cochrane Database Syst Rev. 2002;(1):CD003198. doi: 10.1002/14651858.CD003198. PMID: 11869656. SILBER, B.y.; SCHMITT, J.A.J.. Effects of tryptophan loading on human cognition, mood, and sleep. Neuroscience & Biobehavioral Reviews, [S.L.], v. 34, n. 3, p. 387-407, fev. 2010. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.neubiorev.2009.08.005.

SINGH, Mahaveer; JADHAV, Hemant R.. Melatonin: functions and ligands. Drug Discovery Today, [S.L.], v. 19, n. 9, p. 1410-1418, set. 2014. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.drudis.2014.04.014.

SKVARC, David R.; DEAN, Olivia M.; BYRNE, Linda K.; GRAY, Laura; LANE, Stephen; LEWIS, Matthew; FERNANDES, Brisa S.; BERK, Michael; MARRIOTT, Andrew. The effect of N-acetylcysteine (NAC) on human cognition – A systematic review. Neuroscience & Biobehavioral Reviews, [S.L.], v. 78, p. 44-56, jul. 2017. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.neubiorev.2017.04.013.

Smith, T. J. Magnesium supplements for menopausal hot flashes. Journal of Clinical Oncology. 2009. Disponível em <https://ascopubs.org/doi/full/10.1200/JCO.2009.21.3629>. Acesso em 12 jan 2022.

SYMONS, Lindsey K.; MILLER, Jessica E.; KAY, Vanessa R.; MARKS, Ryan M.; LIBLIK, Kiera; KOTI, Madhuri; TAYADE, Chandrakant. The Immunopathophysiology of Endometriosis. Trends In Molecular Medicine, [S.L.], v. 24, n. 9, p. 748-762, set. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.molmed.2018.07.004.

Tardy AL, Pouteau E, Marquez D, Yilmaz C, Scholey A. Vitamins and Minerals for Energy, Fatigue and Cognition: A Narrative Review of the Biochemical and Clinical Evidence. Nutrients. 2020;12(1):228. Published 2020 Jan 16. doi:10.3390/nu12010228

THOMAS, Holly N.; HAMM, Megan; HESS, Rachel; BORRERO, Sonya; THURSTON, Rebecca C.. “I want to feel like I used to feel”: a qualitative study of causes of low libido in postmenopausal women. Menopause, [S.L.], v. 27, n. 3, p. 289-294, 18 nov. 2019. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/gme.0000000000001455.

Ueda, K., Sanbongi, C., Yamaguchi, M. et al. The effects of phenylalanine on exercise-induced fat oxidation: a preliminary, double-blind, placebo-controlled, crossover trial. J Int Soc Sports Nutr 14, 34 (2017). https://doi.org/10.1186/s12970-017-0191-x

WANG, Jessica; UM, Phoebe; DICKERMAN, Barbra; LIU, Jianghong. Zinc, Magnesium, Selenium and Depression: a review of the evidence, potential mechanisms and implications. Nutrients, [S.L.], v. 10, n. 5, p. 584, 9 maio 2018. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu10050584.

Wu, JY., Prentice, H. Papel da taurina no sistema nervoso central. J Biomed Sci 17 (Supl. 1), S1 (2010). https://doi.org/10.1186/1423-0127-17-S1-S1

XIE, Shanshan; FAN, Wenguo; HE, Hongwen; HUANG, Fang. Role of Melatonin in the Regulation of Pain. Journal of Pain Research, [S.L.], v. 13, p. 331-343, fev. 2020. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.2147/jpr.s228577.