Protocolos injetáveis para a prática esportiva

Tratamentos para aumentar o rendimento durante os exercícios

A relação entre nutrição e performance física

A ingestão e o equilíbrio de nutrientes são muito importantes para um ótimo desempenho físico. Isso é porque os aminoácidos, as vitaminas e os minerais são utilizados em nosso corpo para uma série de reações metabólicas, incluindo as que envolvem o metabolismo energético.

Além de serem superimportantes para a melhora da performance física dos atletas, a suplementação de nutrientes também atua na correção de consumos deficientes na alimentação, no ganho de massa magra, no efeito ergogênico, na termorregulação, na hidratação e na recuperação muscular.

A importância do equilíbrio dos nutrientes para os atletas

A atividade muscular intensa exige uma maior demanda de oxigênio, além de provocar microtraumas nos músculos, promovendo a infiltração de fagócitos nos tecidos musculares. Essas alterações fisiológicas que ocorrem durante o exercício físico fazem com que um importante estresse oxidativo aconteça, e, como consequência, há uma redução na concentração de vitaminas, antioxidantes, glutationa e minerais, como zinco, magnésio, cobre, entre outros.

Diante disso, a suplementação dos atletas de alta performance é muito importante, pois contribui para um rendimento máximo durante os exercícios. Além disso, em associação com uma alimentação balanceada e como complemento às terapias orais, existe a possibilidade desses nutrientes serem administrados pelas vias parenterais, melhorando a sua biodisponibilidade no organismo.

Protocolos injetáveis para performance esportiva

A criação de protocolos com ativos que atuam de forma sinérgica para o aumento da performance na prática esportiva tem sido eficaz para diferentes finalidades, com aplicações para reposição de energia, como forma de pré-treino, e até para reposição hídrica e ganho de massa magra, como auxílio na recuperação do pós-treino, melhorando os resultados obtidos.

Selecionamos algumas sugestões de protocolos endovenosos e intramusculares para praticantes de atividades físicas prolongadas ou intensas, descritas a seguir:

icone-protocolo-endo

Protocolo de Vitaminas, Minerais, Antioxidantes e Aminoácidos

Esse protocolo é composto por substâncias essenciais para o corpo e pode auxiliar atletas que desejam melhorar o desempenho físico, contribuindo na reposição de macro e micronutrientes.

  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • L-Glutathion 100mg/2mL 1 ampola
  • Complexo B (Sem B1) /2mL 1 ampola
  • Pool de Minerais /2mL 1 ampola
  • Pool de Aminoácidos (3,8%) /10mL 1 ampola

Sugestão de uso: Diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (60-90min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente. Recomenda-se a adição de uma ampola por vez na bolsa de soro.

Protocolo endovenoso para ganho de massa magra

A associação destes ativos irá contribuir para que ocorra um aumento de massa magra a partir da ação sinérgica entre exercício físico, alimentação saudável e a suplementação de nutrientes que auxiliam o desenvolvimento muscular.

  • L-Glutationa 100mg/2mL 1 ampola
  • HMB (Hidroximetilbutirato) 50mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Aminoácidos Essenciais (5,56%/10mL) 1 ampola
  • L-Leucina 150mg/10mL 1 ampola
  • L-Ornitina 300mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Minerais /2mL 1 ampola

Sugestão de uso: Diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente. Recomenda-se a adição de uma ampola por vez na bolsa de soro.

Protocolo endovenoso ativador metabólico

A associação destes ativos promove o aumento do metabolismo corporal, contribuindo para a disposição e energia durante os treinos.

  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • Cloreto de cromo 100mcg/2mL 1 ampola
  • HMB (Hidroximetilbutirato) 50mg/2mL 1 ampola
  • Inositol 100 mg + Taurina 100mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: Diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente. Recomenda-se a adição de uma ampola por vez na bolsa de soro.

Protocolo endovenoso máxima hidratação, anticatabólico e restauração cognitiva

A combinação desses ativos irá proporcionar uma hidratação profunda no organismo, provocando uma reposição hídrica necessária após o exercício físico de alta intensidade. Além disso, os ativos que compõem o pool para cognição contribuem para o aumento do foco e da atenção, enquanto a glutamina evita o catabolismo muscular, impedindo a degradação dos músculos para o fornecimento de energia ao corpo e auxiliando na recuperação pós-treino.

  • L-Glutamina 120mg/2mL 1 ampola
  • Sulfato de Magnésio 200mg/2mL 1 ampola
  • Complexo B (Sem B1) /2mL 1 ampola
  • Vitamina C (Ácido Ascórbico) 1g/5mL 1 ampola
  • N-Acetil Cisteína 300mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Aminoácidos (3,8%) /10mL 1 ampola
  • Pool para Cognição /2mL 1 ampola

Sugestão de uso: Diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente. Recomenda-se a adição de uma ampola por vez na bolsa de soro.

Protocolo endovenoso para performance esportiva

Esse protocolo possui ativos com efeito ergogênico, que promovem a produção e a recuperação de ATP, melhorando de forma significativa o desempenho físico. Além disso, tem um papel essencial nas reações das vias anabólicas, assim como na redução de danos musculares.

  • Beta-alanina 750mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnosina 500mg/2mL 1 ampola
  • D-Ribose 500mg/2mL 1 ampola
  • Pool de Aminoácidos Essenciais (5,56%/10mL) 1 ampola
  • Inositol 200mg + Taurina 200mg/4mL 1 ampola
  • HMB (Hidroximetilbutirato) 50mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: Diluir 1 ampola de cada produto em 250mL de SF 0,9% e aplicar pela via endovenosa com gotejamento inicial lento (45-60min/bolsa), avaliando individualmente cada paciente. Recomenda-se a adição de uma ampola por vez na bolsa de soro.

icone-protocolo-intra

Protocolo intramuscular ativador metabólico

Essa combinação de ativos contribui para o melhor funcionamento do metabolismo, além de proporcionar maior disposição para realização de atividades físicas, especialmente em atletas que desejam o aumento da performance.

  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • HMB (Hidroximetilbutirato) 50mg/2mL 1 ampola
  • Cloreto de cromo 100mcg/2mL 1 ampola
  • Cafeína Benzoica 100mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína 20mg/1mL – Opcional 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 4,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo intramuscular para ganho de massa magra

Esse protocolo conta com ativos que promovem o aumento de massa magra, além de possuírem efeitos anticatabólicos.

  • L-Glutathion 100mg/2mL 1 ampola
  • HMB (Hidroximetilbutirato) 50mg/2mL 1 ampola
  • BCAA (Leucina 24 mg + Isoleucina 10mg + Valina 10mg) /2mL 1 ampola
  • L-Ornitina 300mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína 20mg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 4,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo intramuscular para resistência e cognição

Conta com a associação de cafeína e teacrina, ativos que atuam de forma sinérgica, potencializando todos os efeitos já conhecidos da cafeína.

  • Cafeína Benzoica (5%) 100mg/2mL 1 ampola
  • Teacrine (2,5%) 50mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína 20mg/1mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente pela via intramuscular (sugerido o músculo ventroglúteo).

Protocolo intramuscular para performance esportiva

Esse protocolo possui associação de ativos que fornecem energia e disposição para o organismo. O aminoácido L-Carnosina é encontrado em abundância nos músculos e possui papéis importantes, como a regulação ácido-base, proteção contra estresse oxidativo e regulação do cálcio. Além disso, a Beta-alanina é uma das precursoras de L-Carnosina e em estudo recente foi demonstrado aumento significativo do período de exercício físico alcançado por atletas que utilizavam protocolos com a suplementação desse ativo.

  • Beta-alanina 750mg/2mL 1 ampola
  • D-Ribose 500mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnitina 600mg/2mL 1 ampola
  • L-Carnosina 500mg/2mL 1 ampola
  • Lidocaína 20mg/1mL – Opcional 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 4,5mL) em cada músculo ventroglúteo.

Protocolo intramuscular para fadiga

Esse protocolo auxilia na recuperação da fadiga pós-treino de alto rendimento.

  • BCAA (Leucina 24mg + Isoleucina 10mg + Valina 10mg)/2mL 1 ampola
  • D-Ribose 500mg/2mL 1 ampola
  • L-Arginina 400mg + Lidocaína 1% /2mL 1 ampola
  • Magnésio Sulfato 200mg/2mL 1 ampola

Sugestão de uso: aspirar o conteúdo das ampolas e aplicar lentamente metade do volume (cerca de 5mL) em cada músculo ventroglúteo.

É uma sigla em inglês para aminoácidos de cadeias ramificadas (branched chain amino acids), e tem sido muito utilizado para aumentar a performance esportiva. A suplementação desse nutriente demonstrou melhorar a concentração sérica de substâncias relacionadas à fadiga muscular, como lactato, amônio, glicose, ácidos graxos livres e substâncias relacionadas à dor muscular (CK).

Beta-Alanina possui efeito ergogênico e é precursora da síntese de L-Carnosina, que é abundante nos tecidos musculares, possuindo papel intracelular de regulação ácido-base, proteção de estresse oxidativo, glicação e regulação da sensibilidade do cálcio. A suplementação de Beta-Alanina demonstrou aumento da concentração de carnosina nos músculos e na capacidade de performance em diferentes testes de exercícios realizados em amostras de populações.

A cafeína tem efeito ergogênico, atribuído por mecanismos de ação como o bloqueio dos receptores de adenosina, atuação no sistema nervoso central, melhora no funcionamento da bomba de sódio e potássio, mobilização do cálcio intracelular e aumento de catecolaminas no plasma, substâncias relacionadas à indução do aumento da pressão arterial e frequência cardíaca. Dessa forma, a cafeína é capaz de aumentar a energia para exercícios físicos de alta intensidade, além de também ter um efeito termogênico, induzindo a queima de calorias e a perda de peso.

Cromo é um elemento essencial para o metabolismo de carboidratos, proteínas e lipídios. Além disso, por fazer parte do fator de tolerância à glicose (GTP), ele potencializa a atividade da insulina e é responsável pela função normal da insulina. Devido à grande perda desse nutriente e consumo baixo via alimentação, a sua suplementação é indicada para atletas de alta performance, pois facilita o transporte de BCAA para os músculos. O aumento da massa corporal e a diminuição do percentual de gordura também está relacionado a esse nutriente.

A D-ribose promove uma melhora significativa no desempenho, uma vez que aumenta a produção e a recuperação dos níveis de ATP em atletas que realizam exercícios anaeróbicos de alta intensidade.

É um nutriente ergogênico derivado do aminoácido leucina, que está relacionado à melhora da performance esportiva, pois aumenta o ganho de massa, a resistência física e a força, além de reduzir o dano muscular.

Além da ação antioxidante, a taurina também possui efeito ergogênico e atua como protetora celular, aumentando, assim, a performance, enquanto que o inositol atua na mobilização intracelular de cálcio, tornando-se essencial para a contração muscular.

A L-Arginina auxilia na formação de óxido nítrico (NO), o que aumenta a vasodilatação e melhora o desempenho atlético, impactando positivamente na massa muscular e na regeneração dos músculos. Além disso, ela também está envolvida no aumento do hormônio do crescimento e do fator de crescimento semelhante à insulina tipo I, o que demonstrou estar relacionado à resistência de curto prazo após a suplementação desse nutriente.

A L-Carnitina atua como transportadora de ácidos graxos de cadeia longa pelas membranas mitocondriais, o que faz com que ela seja um importante nutriente para o metabolismo energético. Estudos indicam que o seu consumo auxilia atletas na recuperação muscular e no fluxo sanguíneo, além de reduzir a hipóxia tecidual derivada do exercício físico de alta intensidade. Outros artigos relacionam o consumo desse nutriente com o aumento da massa muscular, acompanhado de perda de peso e redução da fadiga física e mental.

É um aminoácido essencial, ou seja, não é sintetizado pelo corpo e deve ser consumido através da dieta ou por suplementação. Estudos apontam que a ingestão de aminoácidos essenciais, em conjunto com carboidratos após o exercício físico, estimula a síntese proteica muscular, sem alterar a quebra de proteína muscular. Além disso, a utilização de aminoácidos durante e após os exercícios físicos demonstrou aumentar a lipólise, que consiste na degradação da gordura corporal.

Em estudos, a suplementação de glutamina teve efeito positivo na diminuição da fadiga após o exercício físico de alta intensidade em comparação com os grupos placebo. Além disso, a suplementação de glutamina pré-treino demonstrou melhorar a função imune e a reação inflamatória defensiva do corpo.

O L-Glutathion é o antixiodante mais abundante dentro das células e a sua presença nos tecidos está relacionada à prevenção de doenças e à manutenção da saúde. Pelo fato do exercício de alta intensidade estar relacionado com a geração de espécies reativas de oxigênio, inúmeros atletas consomem antioxidantes para suprimir a fadiga muscular e facilitar o processo de recuperação pós-treino.

Aumenta a síntese proteica, estimula processos regenerativos inflamatórios e miogênicos e o ganho de massa magra quando suplementada em conjunto com treinamentos de alta intensidade. Em um estudo, a ingestão de Leucina associada ao consumo de alimentos ricos em carboidratos por dias consecutivos melhorou o desempenho e a resistência física em exercícios de alta intensidade, atenuando a ruptura da membrana muscular em ciclistas masculinos bem treinados.

É um nutriente que reduz a amônia plasmática, a qual se encontra normalmente aumentada durante a atividade física intensa, por conta do maior catabolismo de aminoácidos e da eliminação de nucleotídeos de purina. Uma vez que a amônia passa pela barreira hematoencefálica, sua alta concentração no sangue pode causar fadiga central, reduzindo a performance de atletas de alto rendimento.

É um potente antioxidante que reduz os efeitos das espécies reativas de oxigênio por eliminação direta e fornece cisteína para a síntese da glutationa. Diversos estudos apontam que o consumo de NAC pelas vias parenterais aumenta o desempenho dos atletas. Em um desses artigos, a administração intravenosa de NAC melhorou o desempenho e a resistência de ciclistas, reduzindo a fadiga muscular.

Consiste em vitaminas, como riboflavina (B2) e niacina (B3), que desempenham papéis essenciais como cofatores nas reações enzimáticas das vias anabólicas, para produzir energia no ciclo de Krebs e na cadeia de transporte de elétrons durante o metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos. Além disso, possui também os ativos D-Pantenol (B5) e Piridoxina (B6), que são importantes para evitar fadiga muscular e manter o desempenho físico de alta performance em atletas.

Contém L-Glicina, Ácido-L-Aspártico, L-Ornitina, L-Lisina, L-Prolina, Serina, L-Metionina, L-Arginina e L-Triptofano, aminoácidos que auxiliam na proteção contra o estresse oxidativo, mantêm níveis de glicose, promovem a regeneração muscular e atuam de forma sinérgica para melhorar a performance esportiva. Além disso, o Ácido-L-Aspártico é precursor do Ácido D-Aspártico, que está envolvido na regulação da síntese e secreção hormonal. E a Serina, por sua vez, possui ação antifadiga e é um substrato da fosfatidilserina, que reduz o aumento de cortisol durante o exercício físico.

Contém L-Lisina, Valina, Isoleucina, L-Triptofano e Vitamina C, que atuam de maneira sinérgica, promovendo ação antioxidante, auxiliando na recuperação muscular, na redução da dor e na melhora do desempenho físico.

Contém Cloreto de Cromo, Sulfato de Magnésio, Sulfato de Manganês, Sulfato de Zinco, Selênio e Sulfato de Cobre, os quais são substratos de enzimas antioxidantes, importantes no metabolismo do ferro, tecido conjuntivo e produção de energia.

É uma combinação de Colina, L-Carnitina e D-Pantenol, que juntos proporcionam maior fluxo sanguíneo e vasodilatação, reduzindo a hipóxia tecidual durante os exercícios físicos e aumentando o foco durante as práticas esportivas. Além disso, esses ativos participam de reações metabólicas que resultam em maior energia para o corpo.

Magnésio é um mineral que está envolvido em mais de 300 reações metabólicas no corpo. Além de auxiliar nas funções dos nervos e músculos, ritmo cardíaco, tônus vascular, glicose sanguínea e de promover absorção de cálcio, ele atua na síntese proteica, na produção e no armazenamento de energia celular, no crescimento e na produção de células, incluindo a síntese de ácido desoxirribonucleico e ribonucleico.

É um alcaloide encontrado em frutos, como cupuaçu, com atividade ergogênica e cognitiva, que atua como antagonista de adenosina. Por ter efeitos semelhantes à cafeína, como a ação termogênica e energética, é muito utilizada na prática esportiva. Inclusive, o uso concomitante de Teacrine e Cafeína demonstrou potencializar a performance física de atletas quando comparado à suplementação dos ativos isoladamente.

Essa vitamina é precursora do dinucleótido de nicotinamida e adenina (NAD) e fosfato de dinucleotídeo de adenina e nicotinamida (NADP). O NAD e NADP são fundamentais para o metabolismo energético e desempenham papéis importantes nas reações de redução na glicólise, beta-oxidação, via das pentose-fosfato, ciclo de Krebs e nas cadeias de transporte de elétrons.

É um potente antioxidante, capaz de neutralizar as espécies reativas de oxigênio liberadas a partir da prática intensa de exercícios físicos. Em um estudo com atletas de natação, a suplementação com vitamina C aumentou o nível de linfócitos no sangue e o tempo de nado até a fadiga.

Além dos protocolos injetáveis, formulações orais manipuladas em cápsulas e soluções orais, assim como alguns produtos da nossa linha Essential Nutrition podem complementar os tratamentos sugeridos e potencializar os resultados. Confira algumas sugestões:

FÓRMULAS MANIPULADAS PRÉ-TREINO

Suplemento com HMB

Estimula a formação de proteínas e fornece as vitaminas do complexo B que estão diretamente ligadas ao metabolismo das proteínas. A cafeína, o green tea e a carnitina proporcionam melhora da performance, enquanto o HMB evita o catabolismo, além de aumentar a massa muscular e auxiliar na diminuição da gordura corporal.

  • HMB 1g
  • L-Arginina 1,5g
  • L-Lisina 1g
  • Tiamina 20mg
  • Riboflavina 10mg
  • Niacinamida 30mg
  • Piridoxal 5-Fosfato 20mg
  • Metilcobalamina 100mcg
  • Ácido Pantotênico 30mg
  • L-Carnitina 500mg
  • Cafeína 80mg
  • Green tea 300mg
  • Base shake qsp 1 dose

Sugestão de uso: diluir 1 dose em água e tomar antes do treino, durante 12 semanas.

Fitoterápico termogênico metabólico

Fórmula que alia os benefícios da suplementação natural dos fitoterápicos com componentes que têm se mostrado hábeis em reduzir e inibir a adipogênese ou aumentar a lise dos adipócitos, tendo impacto no metabolismo de gorduras e favorecendo o equilíbrio metabólico saudável, além de estimular a termogênese.

  • BioPerine® 15mg
  • Capsiate® 8mg
  • Cafeína 100mg
  • Ginger (5% gingerols) 150mg
  • Colleforin (10% forskohlin) 150mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose antes da atividade física

Shake Rednite™ pré-treino

Formulação que associa os benefícios da beterraba – isso é, o nitrato que alimenta a rota metabólica ‘nitrato – nitrito – óxido nítrico’ e otimiza os efeitos desejados do óxido nítrico no organismo – com o Rednite™, um carboidrato de média absorção (maltodextrina), além do ginger e da capsiate como termogênicos, L-taurina que atua na redução da sensação de fadiga, e vitaminas e minerais para otimizar os benefícios que um suplemento pré-treino deve possuir.

  • Rednite™ 2.000mg
  • Picolinato de cromo 100mcg
  • L-Taurina 1g
  • Maltodextrina 10g
  • Ginger (5% gingerols) 50mg
  • Vitamina E Total 100mg
  • Vitamina B1 2,5mg
  • Vitamina C Total 300mg
  • Riboflavina 2,5mg
  • Pantotenato de cálcio 5mg
  • Piridoxina 10mg
  • Capsiate® 6mg
  • Magnésio (aspartato) 150mg
  • Base shake qsp 1 dose

Sugestão de uso: diluir 1 dose em água e tomar antes do treino.

FÓRMULAS MANIPULADAS INTRA-TREINO

Refresco termogênico

Refresco de fácil preparação, com extratos vegetais que têm efeito vasodilatador, aumentando o fluxo sanguíneo e a temperatura corporal. Consequentemente, ocorre a aceleração do metabolismo, o que leva à queima de gordura e a um maior consumo calórico.

  • Ginger extrato (5% gingerols) 100mg
  • Hibiscus (2% ácido cítrico) 150mg
  • Chá branco (extrato padronizado 90% polifenóis) 100mg
  • Paulinea cupana (5% cafeína) 250mg
  • Liftfresh qsp 1 dose

Sugestão de uso: dissolver o conteúdo de 1 dose em 500ml (duas xícaras) de água gelada e consumir durante o treino.

Carbogel BCAA + carboidratos intra-treino

Forma prática e agradável de suplementar BCAA junto a carboidratos de alto e baixo índice glicêmico, podendo melhorar as respostas durante o exercício, evitando a fadiga central e reduzindo sintomas comuns do treino excessivo.

  • L-Leucina 3g
  • L-Valina 500mg
  • L-Isoleucina 500mg
  • Palatinose™ 3g
  • Dextrose 2g
  • Carbogel (aroma a escolher) qsp 1 dose

Sugestão de uso: 1 dose, intra-treino. Disponível nos aromas naturais de uva, limão, cacau e laranja.

FÓRMULAS MANIPULADAS PÓS-TREINO

Complexo antioxidante para alta performance

Pode proporcionar uma melhora da performance por atuar na manutenção da atividade após a fadiga. Além disso, neutraliza os radicais livres que induzem o dano muscular e que foram produzidos em excesso devido à alta intensidade do exercício.

  • Tocofemax (mix de tocoferóis) 200mg
  • Vitamina C Total 500mg
  • Betacaroteno 10mg
  • Selênio (metilselenocisteína) 100mcg
  • Zinco quelado 15mg
  • Ácido R-Alfa-Lipoico 30mg
  • N-Acetilcisteína 500mg
  • Coenzima Q10 100mg
  • Cromo (quelado) 100mcg
  • Quercetina (lipofílica) 200mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose fracionada, 2 a 3 vezes ao dia.

Sachê revigorante com Sustamine®

O Sustamine® promove um aumento na absorção de água e eletrólitos no intestino, contribuindo com o transporte dos íons para dentro da mucosa das células epiteliais, além de favorecer também a hidratação e a melhora do desempenho tanto físico quanto cognitivo. O uso de Sustamine® é capaz de reduzir a fadiga muscular porque estimula a utilização da glicose como fonte de energia (ciclo glicose-alanina) e aumenta a absorção de sódio pelos músculos esqueléticos.

  • Sustamine® 1g
  • Cloreto de sódio 500mg
  • Cloreto de potássio 100mg
  • Citrato de magnésio 50mg

Sugestão de uso: diluir o conteúdo do sachê em 500ml de água e ingerir antes e após atividade física.

FÓRMULAS MANIPULADAS PARA GANHO DE MASSA

L-Taurina sublingual

Desempenha papel muito importante no músculo cardíaco, fortalecendo e estabilizando o seu ritmo. No exercício, a L-taurina preserva a força muscular durante o esforço e acelera a recuperação do cansaço muscular. Ela pode ainda intensificar os efeitos da insulina, tornando-se responsável por um melhor funcionamento do metabolismo da glicose e dos aminoácidos, auxiliando no anabolismo.

  • L-Taurina 50mg

Sugestão de uso: 1 comprimido via sublingual, 2 vezes ao dia.

Aumento da força com ácido ursólico

Promove o aumento de força, uma vez que os seus nutrientes agem na construção muscular e na redução da fadiga durante o exercício, além de inibir a perda e a atrofia de massa muscular.

  • L-Leucina 1.500mg
  • L-Isoleucina 250mg
  • L-Valina 250mg
  • Vitamina B6 25mg
  • Ácido ursólico 250mg

Sugestão de uso: ingerir 1 dose ao dia.

Suplemento com HMB e ecdisterona (efeito hipertrófico)

A ecdisterona é um esterol vegetal que pode proporcionar um aumento da síntese muscular, a manutenção do estado de anabolismo e a redução de fadiga, enquanto o HMB é responsável pelo anticatabolismo, evitando a perda muscular.

  • HMB 500mg
  • Cyanotis vaga (90% ecdisterona) 200mg

Sugestão de uso: tomar 1 dose, 2 vezes ao dia, durante 4 semanas, sendo 1 dose 1 hora antes do treino.

Produtos Essential Nutrition

Conheça as opções de suplementos que podem ser usados antes, durante e após os treinos para atuar de forma complementar na performance esportiva. Confira a categoria Treino no site da Essential Nutrition.

IMPORTANTE

Este material é de apoio técnico para prescritores e é proibida a sua divulgação
para consumidores, nos termos do item 5.14 da RDC 67/2007.

COQUEIRO, Audrey Yule. et al. Glutamine as an Anti-Fatigue. Amino Acid in Sports Nutrition. (2019) 11, 863.

WILLIAMS, Melvin. Dietary Supplements and Sports Performance: Amino Acids. Journal of International Society os Sports Nutrition. (2005). 2(2): 63-67.

KOURY, Josely C. et al. Zinc and Copper Biochemical Indices od Antioxidant Status in Elite Athletes of Different Modalities. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism. (2004) 14, 358-372.

COLPE, Lucia S. Magnesium and the Athlete. Nutrition and Egorgenic Aids. (2015) 14, 4: 279 – 283.

BALTACI, Adsulketim K. et al. Selenium: Its metabolism and relation to exercise. Pakistan Journal of Pharmaceutical Sciences. (2016) 29, 5, 1719-1725.

SEIFERT, John G. et al. The influence of Dribose ingestion and fitness level on performance and recovery, Journal of the International Society of Sports Nutrition. (2017) 14:1, 47, DOI: 10.1186/s12970-017-0205-8

KERKSICK, C. et al. Effects of Ribose Supplementation Prior to and during Intense Exercise on Anaerobic Capacity and Metabolic Markers. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism. (2005) 15, 6: 653-664.

PAPADOPOULOU, Sousana K. et al. The Key Role of Nutrition Element on Sport Rehabilitation and the Effects of Nutrients Intake. Sports. (2022) 10, 84. DOI: https://doi.org/10.3390/sports10060084

BELLO, Marissa L. et al. The effects of TeaCrine® and caffeine on endurance and cognitive performance during a simulated match in high-level soccer players. Journal of the International Society of Sports Nutrition. (2019) 16:20. DOI: https://doi.org/10.1186/s12970-019-0287-6

D’ANGELO, S. et al. Oxidative Stress and Sport Performance. Sport Science. (2020) 13, 1: 18-22.

MARCINIAK, A. et al. Antioxidant Capacity and Physical Exercise. Biology of Sport. (2009) 26, 3: 197-213.

VOLPE, Stella L.; NGUYEN, Ha. Vitamins, Minerals and Sports Performance. Sports Nutrition, Chapter 8. (2014) 1: 217-228.

SAUNDERS, B. et al. Beta- Alanine supplementation to improve exercise capacity and perfomance: a systematic review and meta-analysis. (2016) 51: 658-669.

HORMOZNEJAD, Razie. et al. Effect of BCAA supplementation on central fatigue, energy metabolism substrate and muscle damage to the exercise: a systematic review with meta-analysis. Sport Sciences for Health. (2019) 15: 265-279.

BISHOP, David. Dietary Supplements and Team-Sport Performance. Sports Med. (2010) 40, 12: 995-1017.

TRUSHINA, Eleonora N. The efficiency of branched chain aminoacids (BCAA) in the nutrition of combat sport athletes.

KATE, Rhodes. N-Acetylcysteine and its effect on Sport Performance: A Meta-Analysis and Case Study. University of Auckland. (2015). URI: http://hdl.handle.net/2292/28474

BRAAKHUIS, Andrea J.; HOPKINS Will G. Impact of Dietary Antioxidants on Sport Perfomance: A review. Sports Med. (2015). DOI: 10.1007/s40279-015-0323-x

GONÇALVES, A. -C.; PORTARI, G. – V. The B-Complex vitamins related to energy metabolism and their role in exercise performance: A narrative review. Elsevier. (2020). DOI: https://doi.org/10.1016/j.scispo.2020.11.007

MILLER, Joshua W.; RUCKER, Robert B. Pantothenic Acid. Present Knowledge in Nutrition. (2020) 1: 273-287.

MANORE, Melinda M. Vitamina B6 and Exercise. International Journal of Sport Nutrition. (1994) 4: 89-103.

MAZIARZ, B. et al. Influence of vegan diet on physical performance of athletes. Journal of Education, Health and Sport. (2020) 10, 7: 209-215.

SILVA, Luciano A. et al. Effects of taurine supplementation following eccentric exercise in young adults. Appl. Physiol. Nutr. Metab. (2014) 39: 38-46.

GOLDFARB, Allan H. et al. Gender compartisons of exercise-induced oxidative stress: influence of antioxidant supplementation. Appl. Physiol. Nutr. Metb. (2007) 32: 1124-1131.

GRUCZA, K. et al. Effects of supplementation with glutathione and its precursors on athlete performance. Biomedical Journal of Scientific & Technical Research. (2018) 12, 4: 9434-9441.

KOBLA, Harshita V.; VOLPE, Stella L. Chromium, Exercise, and Body Composition. Critical reviews in Food Science and Nutrition. (2010) 40, 4: 291, 308.

BRESCIANI, G. et al. Manganese Superoxide Dismutase and Oxidative Stress Modulation. Advances in Clinical Chemistry. (2015) 83 – 126. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/bs.acc.2014.11.001

LEFAVI, R. G. et al. Efficacy of Chromium Supplementation in Athletes: Emphasis on Anabolism. International Journal of Sport Nutrition. (1992) 2: 111-122.

SARAYMEN, R. et al. Magnesium, Copper, Zinc, Iron, and Chromium Levels in Sweat of Boxers. Inönü Üniversitesi Tip Fakültesi Dergisi. (2003) 10, 3: 121-125.

WILLIAMS, M. H. Dietary Supplements and Sports Performance: Minerals. Journal of the International Society of Sports Nutrition. (2005) 2, 1: 43-49.

HEFFERNAN, S. M. The Role of Mineral and Trace Element Supplementation in Exercise and Athletic Performance: A Systematic Review. (2019) 11, 696. DOI: http://dx.doi.org/10.3390/nu11030696

CAMPBELL, W. W.; ANDERSON R. A. Effects of Aerobic Exercise and Training on the Trace Minerals Chromium, Zinc and Copper. Sports Medicine. (1987) 4: 9-18.

STEVENS, B. R. The Role of Glycine-Arginine-Alpha-Ketoisocaproic Acid in Sports Nutrition. Elsevier -Nutrition and Ehanced Sports Performance, 2ª ed., Chapter 54. (2019) 637-644.

TRUDEAU, F. Aspartate as an Ergogenic Supplement. Sports Med. (2008) 38, 1: 9-16.

MIKULSKI, T. et al. Effects of supplementation with brached chain amino acids and ornithine aspartate on plasma ammonia and central fatigue during exercise in healthy men. Folia Neuropathological. (2015) 53, 4: 377-386.

ZAJAC, A. et al. Arginine and Ornithine Supplementation Increases Growth Hormone and Insulin-Linke Growth Factor-1 Serum Levels After Heavy-Resistance Exercise in Strength-Trained Athletes. (2010) Journal of Strength and Conditioning Research. 24, 4: 1082-1090.

THOMSON, J. S. et al. Leucine-protein supplemented recovery feeding enhances subsequent cycling performance trained men. Appl. Physiol. Nutr. Metab. (2011) 36: 242-253.

MINEGISHI, Y. et al. Combined Supplementation of Pre-Exercise Carbohydrate, Alanine, and Proline and Continuou Intake of Green Tea Catechins Effectively Boost Endurance Performance in Mice. Nutrients. (2018) 10, 925. DOI: http://dx.doi.org/10.3390/nu10070925

TSUDA, Y. et al. Combined Effect of Arginine, Valine, and Serine on Exercise-Induced Fatigue in Healthy Volunteers: A Randomized, Double-Blinded, Placebo-Controlled Crossover Study. Nutrients. (2019) 11, 862. DOI: http://dx.doi.org/10.3390/nu11040862

MCLEAY, Y. et al. Dietary Thiols in exercise: oxidative stress defence, exercise performance, and adaptation. Journal of the International Society of Sports Nutrition. (2017) 14:12. DOI: 10.1186/s12970-017-0168-9

JAVIERRE, C. et al. L-Tryptophan Supplementation Can Decrease Fatigue Perception During an Aerobic Exercise with Supramaximal Intercalated Anaerobic Bouts in Young Healthy Men. International Journal of Neuroscience. (2010) 120: 319-327.

LEUTHOLTZ, B.; KREIDER, R. B. Optimizing Nutrition for Exercise and Sport. Nutritional Health: Strategies for Disease Prevention. Chapter 14. DOI: 10.1007/978-1-59259-226-5_14

MILLER, S. L. et al. Independent and Combined Effects os Amino Acids and Glucose after Resistance Exercise. Official Journla of the American College of Sports Medicine. DOI: 10.1249/01.MSS.0000053910.63105.45

UEDA, K. et al. The effects of phenylalanine on exercise-induced fat oxidation: a preliminary, double-blind, placebo-controlled, crossover trial. Journal of the International Society of Sports Nutrition. (2017) 14:34.

KOO, G. H. et al. Effects of Supplementation with BCAA and L-glutamine on Blood Fatigue Factors and Cytokines in Juvenile Athletes Submitted to Maximal Intensity Rowing Performance. (2014) 26: 1241-1246.

TAULER, P. et al. Influence of vitamin C diet supplementation on endogenous antioxidant defences during exhaustive exercise. Eur J Physiol. (2003) 446: 658-664.

Özaslan, M. et al. THE EFFECT OF VITAMIN C SUPPLEMENTATION ON LEUCOCYTE COUNTS AND EXERCISE PERFORMANCE. Journal of Exercise Physiology Online. (2004) 7, 2: 101-105.

FOBAR, M. C. A Dietary Supplement Curriculum for Athletes of Various Intensity Levels. (2014). Disponível online em: https://www.proquest.com/openview/6e87635743f21959a4bb2dbc4f7cf3b2/1?pqorigsite=gscholar&cbl=18750

FIELDING, R. et al. L-Carnitine Supplementation in Recovery after Exercise. Nutrients. (2018) 10, 349. DOI: http://dx.doi.org/10.3390/nu10030349

KRAMER, W. J. et al. L-Carnitine Supplementation: A New Paradigm for its Role in Exercise. Monatshefte f€ur Chemie. (2005) 136, 1383–1390.

NALASCO, R.; LAZARETTI-CASTRO, M. Vitamina D and Physical Performance: Whats is the Ergogenic Actions of Vitamin D? Fads and Facts about Vitamin D. Chapter 3. 21-29.